Premium

Robôs vão ajudar idosos a tomar os medicamentos

Robôs vão ajudar idosos a tomar os medicamentos

Investigadores da UTAD estão a testar protótipos que auxiliam a população sénior a cumprir tarefas do dia-a-dia.

"Dona Adelaide, está na hora de tomar o seu medicamento". É assim que um pequeno robô avisa Adelaide Dias, 88 anos, para que cumpra a sua obrigação diária. Programado por investigadores da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), este "amigo interativo" é capaz de identificar a embalagem correta, colocar o medicamento num cesto e levá-lo até ao idoso, à hora estipulada.

Adelaide Dias vive no Lar do Centro Social e Paroquial de Santo António, em Vila Real, onde tem quem lhe dê os comprimidos que deve tomar, mas admitiu que "se vivesse sozinha ia ser muito útil". O protótipo que apoia o idoso na toma da medicação diária está a ser desenvolvido através de um projeto da UTAD, que pretende estudar a interação entre robôs e idosos em tarefas do dia a dia. "O robô possui uma base de dados com a informação da medicação prescrita e os respetivos horários de toma. Através da análise das imagens captadas pelas câmaras, o robô reconhece a embalagem da medicação e faz a identificação facial do idoso, através de algoritmos de visão por computador", esclareceu o investigador da UTAD, Vítor Filipe.