Nacional

Sampaio da Nóvoa quer reavaliar Acordo Ortográfico

Sampaio da Nóvoa quer reavaliar Acordo Ortográfico

Sampaio da Nóvoa, que ao final da tarde desta segunda-feira, no Teatro Rivoli, no Porto, apresenta a carta de princípios da sua candidatura à Presidência da República, considerou na última noite, em Amarante, num debate sobre Educação, que o Acordo Ortográfico "deve ser reavaliado com muita determinação".

Admitindo que se trata de "um problema complicado", por causa dos acordos internacionais, mas defende que o AO deve ser reavaliado com muita determinação. "Na qualidade de candidato presidencial digo que esta questão tem de ser recolocada em cima da mesa dos debates com enorme cuidado, esperando que se consiga fazer uma avaliação do que aconteceu até agora e consigamos repor em novos moldes algumas orientações sobre esta matéria. É um problema que, na minha condição de Presidente da República, espero ajudar a resolver. O que está a acontecer não é bom para nada, inclusive para o fortalecimento dos laços entre os povos", justificou, Nóvoa, já depois de lembrar que na qualidade de reitor e de professor é contra o AO.

Convidado pela concelhia do PS para falar sobre "Uma Educação para o desenvolvimento", a conversa, por vontade da plateia, estava sempre a resvalar para as presidenciais. Um dos presentes quis saber, por exemplo, o que é que o candidato pensa sobre as questões fraturantes, ao que o candidato atirou de pronto com aquilo que disse ser a sua "matriz: liberdade", com o Estado a garantir a salvaguarda dos "direitos e garantias". O candidato também afirmou que quer para Portugal "um presidente ativo na cena internacional". "A última vez em tal aconteceu foi com Timor, e por obrigação". Sobre o assunto em debate, a Educação, Nóvoa lembrou que "num certo sentido" com o que temos: a escola (edifício) do século XIX e professores do século XX, não conseguimos ensinar alunos do século XXI.