PSD

Santana: "Espero que Portugal fique bem servido com esta escolha"

Santana: "Espero que Portugal fique bem servido com esta escolha"

Santana Lopes admitiu, este sábado, que partiu para a corrida à sucessão de Passos Coelho em desvantagem para Rui Rio, que já andava no terreno há muito mais tempo.

"O PPD/PSD escolheu", começou por dizer Santana Lopes, cerca das 22.30 horas, depois de conhecida a vitória de Rui Rio à liderança do partido.

Os dados provisórios, quando faltavam apurar 11 das 325 secções de voto, dão a Rui Rio 22611 votos (54,37%) e a Santana Lopes 18974 (45,63%).

No breve discurso em que reconheceu a derrota, no Hotel Júpiter, em Lisboa, Santana apontou que teve pouco mais de três meses para dizer ao que vinha. "Partimos - e não é desculpa nenhuma, porque há campanhas que começam mais tarde, constituem grandes surpresas e depois conseguem vitórias -, mas de facto partimos depois", disse, rodeado por alguns dos elementos da sua comissão de candidatura, entre eles Almeida Henriques, autarca de Viseu. "Tenho a noção que a outra candidatura começou uns bons meses antes - ou um ano antes. Nós arrancamos há três meses", frisou.

Perante uma plateia onde se contava um dos fundadores do PSD, Rui Machete, mas poucos notáveis do partido, Santana disse estar de "consciência tranquila", assegurando que passou este sábado "calmo, sereno e descontraído", enquanto os resultados não saíram. "Espero que Portugal fique bem servido com esta escolha", referiu.

Já fora da sala "Moça", onde reagiu à vitória de Rio, Santana admitiu que entraria sempre na corrida à sucessão no PSD, mesmo que "já soubesse que o resultado ia ser este".

"Tinha de fazer este combate e tinha de fazer esta clarificação. E disse-o a 22 de outubro, em Santarém, e essa é uma questão importante para mim - não ficaria bem com a minha consciência se não tivesse feito este caminho, se não tivesse provocado este esclarecimento, mostrado estas diferenças, e ter a consciência plena que fiz tudo para os militantes do PPD/PSD saberem aquilo que estavam a escolher", argumentou, sublinhando que vai agora dedicar-se à advocacia e à docência universitária. "É o que me apetece mais neste momento".

Rui Rio será o 18.º presidente do PSD desde o 25 de Abril de 1974, sucedendo a Pedro Passos Coelho, eleito em 2010.

ver mais vídeos