Premium

Seguro escolar não protege alunos que vão de bicicleta

Seguro escolar não protege alunos que vão de bicicleta

Portaria de 1999 exclui apenas as deslocações feitas em velocípedes. Quase dois mil alunos que praticam BTT fazem trajetos sem cobertura.

O Governo anunciou um investimento de 300 milhões de euros em quase mil novos quilómetros de ciclovias, mas o seguro escolar não cobre as deslocações feitas para a escola em bicicleta. A Federação Portuguesa de Ciclismo (FPC) reclama a revogação dessa cláusula e alerta: a maioria dos quase dois mil alunos no país que praticam BTT, no âmbito do desporto escolar, vão para a escola desprotegidos. O Ministério da Educação assume que o "assunto está em avaliação".

De acordo com dados da FPC em 75 agrupamentos, 1983 alunos praticam BTT nas escolas públicas. A atividade está coberta pelo seguro escolar, assim como se os pais levarem esses alunos e respetivas bicicletas de carro ou transportes públicos para a escola. A portaria que regula o seguro escolar, com data de 1999, exclui apenas as deslocações em "velocípedes com ou sem motor". "É um absurdo", defende o vice-presidente da Federação.