OE2019

Sindicato pede negociação suplementar sobre função pública

Sindicato pede negociação suplementar sobre função pública

A Federação dos Sindicatos da Administração Pública (FESAP) afirmou, esta sexta-feira, que vai pedir negociação suplementar ao Governo sobre as matérias para os funcionários públicos a incluir na proposta de Orçamento do Estado para 2019.

"Não quero acreditar que tenham empurrado esta reunião para hoje que é sexta-feira - o orçamento é entregue na segunda-feira no parlamento - para que nem sequer haja a possibilidade de haver aqui negociação suplementar", afirmou o dirigente da FESAP, José Abraão, à entrada para uma reunião no Ministério das Finanças.

"Iremos pedi-la de qualquer maneira", reforçou o líder sindical.

A ronda negocial começou por estar agendada para quarta-feira, mas foi adiada uma primeira vez para quinta-feira e depois novamente para hoje.

As três estruturas sindicais - FESAP, Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado (STE) e Frente Comum - estão esta tarde a ser recebidas no Ministério das Finanças para discutirem as matérias para a função pública que irão integrar o OE2019, nomeadamente os aumentos salariais.

José Abraão lamentou não ter recebido até agora uma proposta concreta sobre os aumentos salariais, tendo a expectativa de que isso irá acontecer na reunião de hoje, a quarta sobre o tema.

"Se há condições políticas reunidas para aumentar pensões, o que nós muito valorizamos, não conseguimos compreender porque é que os salários de igual valor não são também aumentados", defendeu o dirigente da FESAP.

A estrutura sindical reivindica uma atualização salarial de 3,5% para 2019, mas está disponível para negociar aumentos "em percentagem ou nominais" desde que "para todos os trabalhadores".

As propostas iniciais do Governo apresentadas durante as negociações no parlamento situavam-se entre cinco euros, se o aumento abrangesse todos os trabalhadores, e os 35 euros se fosse dirigido apenas a quem ganha menos, tal como avançou a Lusa.

Em entrevista ao Público no sábado, Mário Centeno confirmou os cenários que estão em cima da mesa: cinco euros para todos os trabalhadores, dez euros para quem ganha até 835 euros e até 35 euros para salários até 635 euros.

Na última ronda negocial com as estruturas sindicais, dia 04, o Ministério das Finanças avançou com uma proposta sobre outras matérias a incluir no OE2019 para a função pública, que prevê o pagamento faseado das progressões na carreira em 2019, à semelhança do que aconteceu este ano.

ver mais vídeos