Educação

Sindicatos de professores desistem de greve às avaliações

Sindicatos de professores desistem de greve às avaliações

As dez organizações de professores decidiram esta quarta-feira desconvocar a greve às avaliações que estava prevista a partir de 6 de junho. Os professores vão fazer comícios durante a campanha para as europeias.

Com o Governo em fim de mandato e, por isso, sem "interlocutor válido" para negociar, os sindicatos decidiram abdicar da greve às avaliações. Vão antes marcar a campanha eleitoral para desmontar a "campanha de mentiras" que acusam o primeiro-ministro de ter "dramatizado" contra os professores.

Assim, na próxima semana, farão cinco "comícios da indignação". O primeiro será no Porto, dia 20. Seguindo-se Faro (21), Lisboa (22), Évora (23) e Coimbra (24).

"É um processo de luta", frisou Mário Nogueira, garantindo que os professores não vão desistir da recuperação integral do tempo de serviço congelado. Até às legislativas vão estar "atentos" aos partidos e às suas promessas.

Os sindicatos vão ainda apelar à Provedoria de Justiça, Procuradoria e bancadas que peçam ao tribunal constitucional a fiscalização dos dois decretos que prevêem a recuperação parcial do tempo e permite ultrapassagens na carreira. Nos tribunais será entregue uma ação coletiva a pedir que a solução aprovada para o continente seja declarada ilegal.