Nacional

Sondagem: PSD vence, mas PS está em recuperação

Sondagem: PSD vence, mas PS está em recuperação

O PSD ganharia as eleições legislativas com 6% de vantagem sobre o PS, caso se realizassem hoje. De acordo com a sondagem Universidade Católica/JN/DN/Antena 1/RTP, os social-democratas alcançariam 39%, o que em conjunto com o CDS-PP (7%) colocaria a Direita no limiar da maioria absoluta, embora numa situação próxima do "empate", caso se some o score do conjunto dos partidos de Esquerda.

É que o PS regista uma assinalável subida de 7%, apesar da queda do Governo, reconquistando terreno aos social-democratas.

A redução para metade (6%) das intenções de voto no Bloco de Esquerda é outro dado significativo do estudo de opinião, no qual a CDU ascende ao terceiro lugar, com 8%. Em relação a Outubro, regista-se um acréscimo do número de eleitores indecisos - eram 24%, são agora 32%, apesar de aumentar o número de cidadãos que tencionam ir às urnas.

Um conjunto de perguntas sobre um eventual pedido de intervenção do FMI revela que o eleitorado está dividido: 39% admitem ser a melhor solução e exactamente a mesma percentagem de inquiridos opõe-se. Porém, em resposta espontânea, 43% imputam ao PS a responsabilidade, se o caminho tiver de ser essa ou o recurso ao Fundo Europeu. A maioria dos inquiridos admite, no entanto, que a ajuda externa melhorará, a médio e longo prazo, a situação do país.

Leia mais amanhã na versão e-paper ou na versão impressa.

Ficha técnica

Esta sondagem foi realizada pelo Centro de Estudos e Sondagens de Opinião da Universidade Católica Portuguesa (CESOP) para a Antena 1, a RTP, o Jornal de Notícias e o Diário de Notícias nos dias 2 e 3 de Abril de 2011. O universo alvo é composto pelos indivíduos com 18 ou mais anos recenseados eleitoralmente e residentes em Portugal Continental. Foram seleccionadas aleatoriamente dezanove freguesias do país, tendo em conta a distribuição da população recenseada eleitoralmente por regiões NUT II (2001) e por freguesias com mais e menos de 3200 recenseados. A selecção aleatória das freguesias foi sistematicamente repetida até os resultados eleitorais das eleições legislativas de 2009 e presidenciais de 2011 nesse conjunto de freguesias, ponderado o número de inquéritos a realizar em cada uma, estivessem a menos de 1% do resultados nacionais dos cinco maiores partidos ou candidatos. Os domicílios em cada freguesia foram seleccionados por caminho aleatório e foi inquirido em cada domicílio o mais recente aniversariante recenseado eleitoralmente na freguesia. Foram obtidos 1288 inquéritos válidos, sendo que 58,6% dos inquiridos eram do sexo feminino, 35% da região Norte, 22% do Centro, 30% de Lisboa e Vale do Tejo, 5% do Alentejo e 7% do Algarve. Todos os resultados obtidos foram depois ponderados de acordo com a distribuição da população com 18 ou mais anos residentes no Continente por sexo, escalões etários e grau de instrução, na base dos dados do INE, e por região e habitat na base dos dados do recenseamento eleitoral. A taxa de resposta foi de 51,7%*. A margem de erro máximo associado a uma amostra aleatória de 1288 inquiridos é de 2,7%, com um nível de confiança de 95%.