Ilha

Três mil regressados da Venezuela conseguiram emprego na Madeira

Três mil regressados da Venezuela conseguiram emprego na Madeira

Cerca de três mil cidadãos regressados da Venezuela conseguiram emprego na Madeira, revelou esta quarta-feira o presidente do executivo regional, Miguel Albuquerque, sublinhando que, ainda assim, a taxa de desemprego na região é "das mais baixas".

Insistindo que a Madeira tem vindo a crescer financeiramente há 63 meses consecutivos, Miguel Albuquerque salientou que esta situação tem contribuído para baixar "substancialmente a taxa do desemprego", acrescentando que "essa redução tem permitido, inclusivamente, rececionar e acomodar muitos dos concidadãos da Venezuela", que chegam em "condições de precariedade".

"Ou seja, neste momento, a nossa taxa de desemprego, em termos reais é das mais baixas do país, senão fosse a circunstância, e bem, que temos de acolher, nos centros de emprego os cidadãos que regressam da Venezuela com grandes condições de precariedade económica", declarou.

O chefe do executivo, que visitava uma nova loja que se dedica à construção e manutenção de jardins em toda a Região, no concelho da Calheta, na zona oeste da Madeira, apontou que, até este momento, o Governo Regional já colocou "no mercado de trabalho [regional] quase três mil concidadãos regressados da Venezuela".

No entanto, relembrou que "ainda há um número substancial" de pessoas para colocar no mercado de trabalho, defendendo a necessidade de incentivar estas pessoas a criar "as próprias empresas".

Miguel Albuquerque argumentou que "este percurso de retoma e crescimento económico vai ser acompanhado pela circunstância de neste orçamento [regional para 2019] efetuar a introdução da redução do IRS", reforçando que "todos os escalões vão ter mais uma baixa".

Também salientou que, "simultaneamente, pelo segundo ano consecutivo, o Governo Regional vai reduzir a taxa do IRC", uma medida que vai "beneficiar substancialmente" as pequenas e médias empresas da região, que são a grande maioria, como forma "de estimular o emprego e prosperidade".

Na área social, o governante insular insistiu que o Orçamento Regional para 2019 vai incluir a redução do preço dos passes nos transportes, passando os interurbanos a custar 40 euros e os urbanos 30.

Por fim, como estímulo à natalidade, falou da criação do denominado 'Kit bebé', que consta de um cheque de 400 euros para as despesas de qualquer criança que nasça a partir de 01 janeiro de 2019.

A proposta de Orçamento Regional para o próximo ano será entregue pelo vice-presidente do Governo Regional da Madeira, Pedro Calado, na sexta-feira, ao presidente da Assembleia Legislativa da Madeira.

ver mais vídeos