Polémica

Venezuela tem conta de pernil por pagar a empresas portuguesas

Venezuela tem conta de pernil por pagar a empresas portuguesas

A Raporal, uma das empresas responsável pelo fornecimento de pernil de porco à Venezuela, esclareceu esta quinta-feira, em comunicado, que o país tem em atraso o pagamento de 40 milhões de euros às empresas portuguesas que lhe fornecem este produto alimentar.

A empresa esclareceu que, em 2016, foram vendidos ao Governo venezuelano "14 mil toneladas de carne num valor de 63,5 milhões de euros". Uma das empresas responsáveis pelo fornecimento era a Raporal, que conseguiu o contrato através da Agrovarius, especializada em exportação de produtos agrícolas nacionais.

Dessa encomenda, a Raporal afirma que "ainda permanece pendente de pagamento cerca de 40 milhões de euros, dos quais, 6,9 milhões dizem respeito ao cumprimento do pagamento à Raporal" e que a mesma empresa "tem recebido de forma parcelar valores a abater na conta corrente referente a este contrato". O último pagamento ocorreu em agosto de 2017.

A Raporal adianta ainda que "foi recebida esta manhã pelo Embaixador da Venezuela em Lisboa e que este se comprometeu, em nome da Venezuela, a realizar o pagamento integral em falta referente ao fornecimento de 2016, até março de 2018."

A empresa de fornecimento de carnes esclareceu ainda que este ano "não forneceu em momento algum, o Governo Venezuelano", excluindo-se assim de qualquer acusação de sabotagem de fornecimento de pernil de porco.

"A Raporal não tem conhecimento de qualquer ato de sabotagem de Portugal em relação ao fornecimento de pernil de porco à Venezuela, mas antes confirma que é a Venezuela que não tem cumprido pontualmente as suas obrigações de pagamento dos fornecimentos realizados em 2016".

Esta quarta-feira, o presidente venezuelano acusou Portugal de sabotar a entregar de pernil de porco ao país por altura do Natal.

ver mais vídeos