ISCTE

Investigadora quer perceber porque é que emigrantes jovens são quem mais regressa

Investigadora quer perceber porque é que emigrantes jovens são quem mais regressa

Descobrir por que é que os jovens, entre os 20 e 34 anos, são o grupo de emigrantes que mais regressa a Portugal é o âmbito de uma investigação conduzida por uma estudante de doutoramento no ISCTE. No ano passado, o INE divulgou que 39,3% dos emigrantes que regressaram a Portugal têm entre os 20 e 34 anos.

Inês Vidigal, estudante de doutoramento em Sociologia no ISCTE, em Lisboa, começou esta investigação com o intuito de satisfazer uma curiosidade científica. "Descobri no ano passado, através de dados do INE, que 39,3% dos emigrantes que regressaram a Portugal tinham essa idade. Foi por essa razão que quis descobrir o que leva uma pessoa neste grupo etário a migrar e a regressar", explica.

A investigadora também explica que, por norma, os principais países de emigração portuguesa são o Reino Unido, Alemanha, França, Espanha e Suíça. "Foi por essa razão que quero analisar todo o percurso migratório e perceber as características e expectativas que estas pessoas tinham no país de destino", elabora.

O inquérito que Inês Vidigal pretende levar a cabo para a investigação vai incidir sobre as pessoas entre os 20 e 34 anos, que tenham nascido em Portugal, tenham emigrado para fora do país - por mais de três meses - e que tenham regressado após 2000. No entanto, a investigadora admite que não tem sido fácil encontrar este grupo. Por isso, pediu ajuda ao JN para divulgar este inquérito, com cerca de 50 perguntas, que pode ser respondido online.

"O meu plano vai ser encerrar o inquérito até setembro e ter a análise dos resultados concluída até ao fim de 2022", afirma Inês Vidigal, estimando que a apresentação final da investigação vai ocorrer entre 2024 e 2025.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG