Solidariedade

IRA troca carro para resgate animal por seis mil euros para Matilde

IRA troca carro para resgate animal por seis mil euros para Matilde

O núcleo IRA - Intervenção e Resgate Animal, que se dedica ao resgate de animais vítimas de negligência e maus-tratos, anunciou, esta sexta-feira, que vai doar mais de seis mil euros para Matilde. A bebé de dois meses sofre de uma doença rara e precisa do medicamento mais caro do Mundo para sobreviver. A conta solidária aberta pelos pais angariou, até ao momento, quase 400 mil euros.

O anúncio foi feito na manhã desta sexta-feira, numa publicação na página de Facebook do IRA. "Sabemos perfeitamente qual é a nossa missão, ANIMAIS", começam por dizer, acrescentando que, no entanto, também já auxiliaram "respetivos detentores cujas posses atingiam o limiar da pobreza extrema".

Agora, o IRA quer ajudar a Matilde, uma bebé de dois meses que sofre de uma doença rara na forma mais avançada e grave, a atrofia muscular espinhal de tipo I. Os pais da menina acreditam que a solução para o tratamento passa pelo "Zolgensma", o medicamento mais caro do mundo, que só está disponível nos Estados Unidos por cerca de 1,9 milhões de euros.

No Facebook, os responsáveis do núcleo, que preferem manter o anonimato, anunciaram que vão doar mais de seis mil euros para a Matilde. Esse dinheiro - 6541 euros ao certo - foi angariado desde a última semana para aquisição de um novo carro para o resgate de animais e assim "ampliar a atuação para todo o distrito de Lisboa", mas vai servir agora outro objetivo. "Nós temos o tempo que ela não tem, por isso decidimos dar o dinheiro, o carro pode esperar", afirmou ao JN um responsável do IRA.

83% decidiram ajudar a Matilde em vez de comprar o carro

O montante acumulado até ao momento para a compra da viatura foi doado por simpatizantes e seguidores do trabalho daquele núcleo de intervenção. Uma vez que pode haver quem se oponha à entrega dos fundos para outra causa, o valor a doar à família de Matilde poderá variar. "Respeitamos totalmente a decisão de quem se opõe à entrega dos fundos angariados para outro objetivo que não o da aquisição da viatura", disse o IRA.

Como tal, os responsáveis decidiram abrir uma votação, na quinta-feira, na página de Facebook, para que todos os seguidores (230 mil), incluindo os que não fizeram donativos, pudessem escolher, até domingo, qual o destino do valor angariado: a ajuda para a Matilde ou a compra da viatura.

A maioria dos votantes (83%) decidiu ajudar a menina e, por isso, a votação terminou mais cedo. "Dificilmente prevendo uma alteração desta dimensão, damos por terminada a sondagem com 83% a favor da entrega do montante aos pais da Matilde", explicou o IRA no Facebook.

Decisão tomada, resta saber qual será o valor final a ser doado, uma vez que aqueles que não queiram ver o seu donativo entregue para outro objetivo que não a compra da viatura terão a possibilidade de enviar um email, "de forma a garantir o anonimato", a solicitar que a sua parte fique "retida" para nova angariação. "Deverão inserir no assunto "Eu não aceito", anexando o comprovativo da transferência com o montante doado até dia 30 de junho", informou o IRA.

Querem entregar o dinheiro pessoalmente e conhecer a Matilde

Questionado sobre quando será feita a doação do valor à família da bebé, o responsável do IRA revelou ao JN que pretendem encontrar-se com os pais "na próxima semana" para "entregar o dinheiro pessoalmente" e "conhecer a Matilde". Para já, ainda estão a tentar entrar em contacto com a família.

Quanto ao valor exato a ser doado, vai depender de possíveis recusas por parte dos que não querem que o seu dinheiro sirva para outro objetivo que não o inicial, mas, até ao momento, o IRA ainda não recebeu "qualquer email" a solicitá-lo. De qualquer forma, serão dados "com certeza mais de seis mil euros", afirmou o responsável, que não acredita que em poucos dias o valor baixe.

A Matilde está internada no hospital, em Lisboa, desde quarta-feira, "a tomar antibiótico e a fazer ventilação 24 horas", devido a dificuldades respiratórias. A esperança média de vida destes doentes é de dois anos, mas os pais, Carla Martins, 37 anos, e Miguel Sande, 34, têm a esperança de que o tratamento nos EUA possa salvar e prolongar a vida da filha. A menina tem um irmão, Rodrigo, de ano e meio, e uma irmã, Thaís, de 11 anos.

Por enquanto, os pais estão a tentar angariar o máximo valor possível para ajudar nos custos do tratamento da bebé, tendo conseguido, até agora, 394.833 euros, segundo a última atualização na página de Facebook que criaram e que já tem mais de 130 mil seguidores. Para ajudar, as pessoas podem fazer donativos para a conta PT50 0035 0685 00008068 130 56.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG