Acesso

Já há mais candidatos ao Superior do que em 2019

Já há mais candidatos ao Superior do que em 2019

Primeira fase do concurso fecha domingo e número de alunos a tentar ingresso é superior a 52 mil, mais do que o total do ano passado. Na terça-feira, candidaturas ultrapassavam as vagas.

A corrida ao Ensino Superior continua a superar expectativas. A 1.ª fase do Concurso Nacional de Acesso (CNAES) termina no próximo domingo e conta já com mais candidatos do que no total do ano passado. Com uma média diária de 4334 processos entrados, até à passada terça-feira, contavam-se mais de 52 mil candidaturas, para um total, neste primeiro arranque, de 51 408 vagas.

De acordo com as estatísticas da Direção-Geral do Ensino Superior (DGES), até ao passado dia 18, a cinco dias do término do concurso, tinham-se candidatado 52.006 estudantes, quando no CNAES do ano passado concorreram à 1.ª fase 51.291 alunos.

Os dados da DGES mostram, aliás, que logo no primeiro dia as candidaturas foram quase o dobro das registadas no ano passado, a que não será alheio o facto de o concurso ter sido encurtado em quatro dias devido à necessidade de adiamento, para este mês, face ao contexto pandémico. Tendo em conta as 51 408 vagas postas a concurso, neste momento, há mais candidatos do que lugares nas universidades e politécnicos públicos. Sublinhe-se, no entanto, que decorrerão ainda as 2.ª e 3.ª fases, sendo que por via do CNAES entram 77% dos estudantes no Superior. Faltam, ainda, os concursos locais das próprias instituições, os contingentes para alunos internacionais e, entre outros, os cursos técnicos superiores profissionais (CTESP).

Refira-se também que, este ano, pela primeira vez, foram abertas 2370 novas vagas para alunos que terminaram o ensino Secundário através das vias profissionalizantes e de cursos artísticos especializados. Para o efeito, foram lançados concursos especiais pelas instituições.

No que aos CTESP concerne, a procura está também em alta. Não dispondo ainda de dados globais, o presidente do Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos (CCISP) revela que, em Setúbal, "a 15 dias do fecho" do concurso, contam-se "mais candidaturas do que no total do ano passado. Para os 24 CTESP ministrados em Setúbal, Pedro Dominguinhos adianta que "19 já têm mais candidatos do que as vagas postas a concurso".

Aposta das famílias no futuro

PUB

Para os presidentes do CCISP e do Conselho de Reitores, este aumento da procura constitui uma validação, pelas famílias e pelos jovens, da importância do Ensino Superior no acesso ao mercado de trabalho. E que, afirma Fontainhas Fernandes, líder do reitores, "não há efeito covid".

Pedro Dominguinhos, por sua vez, destaca, ainda, que "o valor das propinas [no máximo de 679 euros] e o acesso a bolsas de estudo têm hoje condições mais vantajosas do que há cinco, seis anos". Quanto ao impacto da subida das médias nos exames nacionais, entende que havendo mais estudantes "com nota positiva há mais alunos com condições" de ingresso, considerando, no entanto, ser "ainda prematura" uma análise.

Corte nas propinas

Para o próximo ano letivo, a propina máxima foi fixada em 697 euros, o que se traduz num decréscimo de 20%. Quase todas as instituições cobram a máxima.

Calendário

A 1.ª fase do concurso termina no domingo e os resultados são conhecidos a 28 de setembro. A 2.ª fase decorre daquele dia a 9 de outubro e a 3.ª de 22 a 26 de outubro.

Outras Notícias