Política

Joacine Katar Moreira sobre o Parlamento: "Nasci para estar ali"

Joacine Katar Moreira sobre o Parlamento: "Nasci para estar ali"

É a primeira reação pública após a retirada de confiança política do Livre a Joacine Katar Moreira, na passada quinta-feira. A deputada não se ficou pelas meias palavras, este sábado, numa manifestação realizada em Lisboa contra o racismo e a violência policial: "Nasci para estar ali, eu vou continuar ali [Parlamento].

Dezenas de pessoas ouviram o discurso de Joacine Katar Moreira, deputada agora independente (após a retirada de confiança política pelo partido Livre), na manifestação de solidariedade com Cláudia Simões, que se queixa de violência policial com motivações raciais a 19 de janeiro, na Amadora. Esta será a primeira reação pública de Joacine que tinha garantido anteriormente que não abdicaria do lugar no Parlamento, caso o partido lhe retirasse confiança política.

"Não vou permitir que ninguém me diga que estou onde não deveria estar. Nasci para estar ali e vou continuar ali [Assembleia da República]. Eu não me imagino em mais sítio nenhum hoje. Lamento", reforçou a deputada perante os manifestantes, num vídeo amplamente divulgado nas redes sociais.

"Adoro estar aqui [manifestação], porque a minha gaguez desaparece", acrescentou em tom de ironia. "Enquanto a minha gaguez não desaparecer da Assembleia, não saio de lá também". Entre palmas e muitos telemóveis em punho, alguns manifestantes gritaram "senhora deputada" em claro apoio à investigadora de 37 anos.

"Vamos continuar a trabalhar com a confiança de uns e sem a confiança de outros.Interessa-me quem confia em mim, interessa-me quem votou em mim, quem torce por mim". Joacine Katar Moreira foi eleita pelo círculo de Lisboa do Livre no passado dia 6 de outubro nas eleições legislativas.

Joacine Katar Moreira mostrou-se indignada com a atuação das forças policiais face a Cláudia Simões e embora não tenha referido o facto explicitamente, não deixou de atirar críticas aos acontecimentos dos últimos dias, onde se inclui a reação de André Ventura à proposta do Livre de devolver património às ex-colónias portuguesas. "Vivemos numa sociedade que reclama ser antifascista. Não há antifascismo sem antirracismo".

Após a queixa de Cláudia Simões, a deputada eleita pelo Livre juntou-se ao rol de críticas contra a atuação da polícia. Joacine Katar Moreira chegou a pedir ao ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, para responder a quatro perguntas sobre o episódio.

Outras Notícias