Solidariedade

Jonet pede que sol e bola não demovam dádivas

Jonet pede que sol e bola não demovam dádivas

A primeira campanha deste ano do Banco Alimentar Contra a Fome (BA) - que decorre este sábado e domingo em mais de dois mil supermercados do país - compete com o bom tempo, a final da Taça de Portugal, as eleições europeias e ainda eventos tradicionais religiosos como crismas e comunhões.

Isabel Jonet espera que os voluntários e os doadores não deixem de ajudar até porque "com o aumento do crédito, muito em breve vamos voltar a ter famílias sobreendividadas a pedir ajuda alimentar".

"Acredito que as pessoas podem ter muitas solicitações neste fim de semana, mas vão acabar por ir às compras, mais ao início ou ao final do dia, e nessa altura vão ajudar", disse a presidente do BA. "Nas últimas campanhas houve uma ligeira diminuição na recolha em sacos, mas com os vales e com os donativos pela internet o resultado foi muito idêntico ao habitual", contabilizou.

Isabel Jonet admite que haja "alguma ideia que a crise terá acabado e as necessidades diminuíram", mas os pedidos de ajuda aos 21 bancos alimentares de todo o país não diminuíram. "Há um grupo de pessoas, especialmente as mais velhas, que vivem numa pobreza estrutural, sem solução, que dependem do Banco Alimentar e continuamos a apoiar", explicou.

Ao todo, os bancos alimentares apoiam 2400 instituições sociais que ajudam mais de 400 mil pessoas com necessidades comprovadas, seja através de refeições confecionadas servidas em creches, lares, centros de dia ou apoio domiciliário, seja através de cabazes de alimentos distribuídos a quem mais precisa.