OE2010

Jorge Sampaio enaltece convergência de esforços para viabilizar Orçamento

Jorge Sampaio enaltece convergência de esforços para viabilizar Orçamento

O antigo Chefe de Estado Jorge Sampaio considerou hoje, domingo, que é importante para o país "juntar esforços para que haja uma possibilidade de convergência" na aprovação do Orçamento de Estado para 2010.

Ao ser questionado por jornalistas em Coimbra sobre o seu entendimento acerca do compromisso político para viabilizar o OE, Jorge Sampaio disse ser "muito importante que isso aconteça".

"Hoje não represento nada não ser a mim próprio, mas acho que é muito importante que isso aconteça, porque é um sinal, ninguém perde liberdade nem capacidade crítica, mas juntar esforços para que possa haver uma capacidade de convergência para suster alguns propósitos negativos acho que é muito importante e o país beneficiará com isso, desde que a clareza exista e todos saibamos o que andamos a fazer", afirmou.

Jorge Sampaio recebeu hoje o grau de doutor "honoris causa" pela Universidade de Coimbra.

"É também um importante desafio para os cidadãos em geral, certamente para a iniciativa privada, vejo falar pouco da iniciativa privada e a iniciativa privada tem uma responsabilidade muito grande no investimento futuro. Passa-se a vida a criticar o Estado, mas o Estado está a suprir a ausência de várias iniciativas que deviam acontecer, portanto tudo isto que possa criar um clima de confiança propiciador do investimento ataca a possibilidade de não termos um desemprego tão grande", salientou.

"A nós falta-nos sempre uma dose de capacidade de compromisso. A situação portuguesa é tão difícil e sobretudo na projecção externa dessa situação e nas responsabilidades que temos no quadro da União Monetária, do Programa de Estabilidade e Crescimento que vamos ter que apresentar em Bruxelas, normalmente para os três anos próximos, acho que cada um pode dar um contributo importante para ver se se chega a um instrumento que comece a atacar as questões difíceis e que seja o resultado de um compromisso político, porque sem isso não penso que se possa avançar neste país em matérias tão difíceis como aquelas as que são as ligadas às questões económicas e financeiras", adiantou.

Questionado sobre a presença de Manuel Alegre na cerimónia e acerca de um eventual apoio à candidatura do poeta à Presidência da República, Jorge Sampaio disse que é "um amigo de longa data, desde a crise académica de 61, companheiro de lutas políticas".

"Quanto ao mais não faço nenhum comentário neste momento, nem me parece apropriado sequer", adiantou.

Por seu turno, em declarações aos jornalistas Manuel Alegre disse que Jorge Sampaio "é uma grande figura" da sua geração, "um grande estadista e um grande lutador".

"Conhecemo-nos nas lutas académicas e ele esteve sempre na primeira linha da luta pela democracia em Portugal", disse Manuel Alegre, escusando-se a responder quando questionado sobre se Jorge Sampaio teria ou não formulado o apoio à sua candidatura, alegando não ser este o local adequado.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG