Premium

José e José: dois homens que têm profissões quase sempre femininas

José e José: dois homens que têm profissões quase sempre femininas

José Bagulho e José Saldanha são o exemplo de homens que exercem profissões habitualmente atribuídas a mulheres. Um é educador de infância, o outro faz limpezas domésticas, nas pausas do trabalho principal: auxiliar de ação médica.

De fora, ainda são vistos com desconfiança. Os que contactam com eles diretamente põem o preconceito de lado. Amanhã, para assinalar o Dia do Trabalhador, a Comissão para a Igualdade no Trabalho e Emprego (CITE) lança a campanha "As profissões são para pessoas".

José Bagulho, 52 anos, casado, pai, educador de infância numa escola em Porto Salvo, Oeiras, ainda nota surpresa na primeira reunião de pais "Não estão à espera. Há uma primeira reação de retranca". O que costuma acontecer é dizerem-lhe, mais tarde, como se sentiram confusos no dia em que lhe deixaram ao cuidado os filhos entre três a cinco anos. As preocupações eclipsam-se à medida que o vão conhecendo.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG