O Jogo ao Vivo

PS

José Lello acusa Manuel Alegre de começar a "raiar a falta de carácter"

José Lello acusa Manuel Alegre de começar a "raiar a falta de carácter"

José Lello não gostou nada de ver Manuel Alegre admitir que avançaria para as legislativas se fossem permitidas candidaturas independentes. Para o dirigente nacional do PS, o "vice" do Parlamento já "começa a raiar a falta de carácter".

Há muito que Manuel Alegre e José Lello andam numa acesa "troca de mimos". Ontem, o verniz estalou por o vice-presidente da Assembleia da República ter admitido, em entrevista ao semanário "Expresso", que "avançava" com uma candidatura contra José Sócrates se os movimentos de cidadãos pudessem candidatar-se ao Parlamento. "Contra o status quo e a favor de uma renovação da democracia", justificou Alegre, reafirmando que a possibilidade de candidaturas independentes às eleições legislativas é um dos seus "objectivos políticos".

Para José Lello, é tempo de dizer "basta!". "Esta coisa está a chegar ao limite!", afirma, ao JN, convencido de que "aquelas votações na Assembleia da República não são motivadas por razões de consciência mas de agenda política".

Para o secretário nacional do PS, Manuel Alegre foi eleito vice-presidente do Parlamento "com base num contrato de solidariedade", que garante estar a ser cumprido pelo partido. Daí que avise: "Não podemos falsear um contrato com o eleitorado nem ver a nossa maioria sempre posta em causa por um grupo pequeno de umas senhoras que ninguém sabe quem são mas que, no fundo, estão sempre à espera de uma dica do seu líder de facção".

José Lello, que chegou a acusar Alegre de "parasitar" as jornadas parlamentares do PS nos Açores, em Junho do ano passado, diz agora que a atitude do "histórico" socialista "começa a raiar a falta de carácter". "No momento em que o partido deixa de ser família já não sei que valores estão em causa. Utilizar essas benesses para proveito próprio é coisa que não é bonita", ataca agora José Lello, elogiando a "frontalidade" de personalidades como Ana Gomes.

Por tudo isso, José Lello acredita que chegou a hora de Manuel Alegre "fazer uma reflexão". "Ele tem que fazer opções", considera.

As declarações do vice-presidente do Parlamento, na entrevista ao "Expresso", não mereceram, porém, qualquer reacção oficial da Direcção do partido. "Não tenho qualquer comentário a fazer sobre isso", disse, ao JN, o porta-voz do PS Vitalino Canas.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG