Premium

Jovens especialistas optam cada vez menos pelos hospitais do SNS

Jovens especialistas optam cada vez menos pelos hospitais do SNS

São cada vez menos os jovens médicos interessados em trabalhar no Serviço Nacional de Saúde (SNS) após a formação especializada. Quase metade (45%) das vagas abertas pelo Ministério da Saúde para colocar especialistas nos hospitais ficou por preencher. Um resultado ainda pior do que o registado no último concurso para os médicos de família, no qual um terço dos lugares ficaram desertos.

No início do mês, a ministra da Saúde disse que a taxa de retenção dos médicos que terminam a especialidade se tem situado sempre acima dos 80%. Mas os resultados das últimas contratações para hospitais e centros de saúde revelam uma realidade bem diferente.

O concurso da segunda época de 2018, aberto em dezembro, previa a colocação de 287 médicos de especialidades hospitalares e 13 de saúde pública. De acordo com dados da Administração Central do Sistema de Saúde foram ocupadas 165 vagas, das quais 64 no Norte (62, segundo a ARS Norte), 26 no Centro, 60 em Lisboa e Vale do Tejo, dez no Alentejo e cinco no Algarve.