Em atualização

Liderança da Associação das Farmácias muda de mãos

Liderança da Associação das Farmácias muda de mãos

A lista liderada por Ema Paulino venceu as eleições para a Associação Nacional das Farmácias. A candidata foi apoiada pelo fundador, João Cordeiro, que encabeçava a lista para a Assembleia Geral.

Os resultados foram conhecidos ao início da noite deste sábado, a candidatura "Novo Rumo ANF" foi a vencedora das eleições para a Associação Nacional das Farmácias.

A lista, encabeçada por Ema Paulino, estava a vencer com 58% dos votos, quando já estavam apurados 93% dos participantes, enquanto a lista "Todos pela Farmácia", liderada por Nuno Vasco Lopes, da atual direção, alcançava 35,7%.

Em comunicado, a ANF adiantou que "até 4 de junho, serão contabilizados os votos que ainda possam chegar por correspondência", mas que essa contabilidade "já não alterará o resultado eleitoral".

Participaram nestas eleições, até ao início da noite, 2342 sócios da ANF, sendo uma das maiores votações de sempre, segundo a mesma fonte.

As eleições para a ANF tiveram de ser antecipadas depois de a atual direção, liderada por Paulo Duarte se ter demitido.

Irregularidades nas contas

PUB

A renúncia aconteceu depois do fundador e ex-presidente da ANF (durante mais de 30 anos) João Cordeiro ter questionado publicamente as contas da associação. Apesar de Paulo Duarte ter negado esta relação.

A público vieram as contas da Farminveste, holging que gere o grupo empresarial da ANF, com uma dívida de 420 milhões de euros. Valor que Paulo Duarte desmentiu num texto na "Revista Saúda", publicação da ANF.

"A dívida é de 242,4 milhões de euros, para um volume de negócios das empresas de 766 milhões em 2020", escreveu Paulo Duarte, sublinhando que "qualquer suspeita sobre a sustentabilidade da ANF e do seu universo empresarial é falsa, alarmista, irresponsável e lesiva do interesse das farmácias".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG