O Jogo ao Vivo

Regresso

Livre cresce em todo o país mas só elege Rui Tavares em Lisboa

Livre cresce em todo o país mas só elege Rui Tavares em Lisboa

Deputado eleito garante que partido voltou à Assembleia para ficar e teme que maioria absoluta se possa fechar em si mesma.

O partido que se apresentou às eleições legislativas com a máxima de querer encontrar pontes de entendimentos à esquerda num cenário de nova geringonça elegeu um deputado pelo círculo de Lisboa à Assembleia da República. Rui Tavares obteve mais de 27 mil votos no distrito da capital e o partido obteve um aumento generalizado no país. O historiador quer que, apesar da maioria absoluta do Partido Socialista, haja diálogo à esquerda.

Depois da deputada Joacine Katar Moreira ter sido afastada do partido a meio do mandato por lhe ter sido retirada a confiança política, o Livre regressa ao Parlamento através de um dos seus mais emblemáticos fundadores. Rui Tavares conseguiu mais 5 mil votos em Lisboa do que em 2019 e no Porto, apesar do cabeça de lista Jorge Pinto não ter sido eleito, o Livre conseguiu mais de 11 mil votos, contra os 8900 das últimas legislativas. Em termos nacionais, o Livre obteve mais de 68 mil votos. São mais 11 mil que em 2019 e foi o nono partido mais votados em Portugal.

PUB

De volta ao Parlamento

Na Casa do Alentejo, em Lisboa, o local escolhido pelo partido para passar a noite eleitoral, foi num ambiente de festa que os membros do Livre ouviram o discurso de Rui Tavares. "O Livre volta a ter representação parlamentar. É a esquerda europeia e verde que volta à Assembleia para ficar. Vamos nas próximas eleições recuperar o caminho que nos falta recuperar", disse o líder do Livre.

Perante a maioria absoluta do Partido Socialista, Rui Tavares espera que haja diálogo entre os eleitos de esquerda. "Temo que uma maioria absoluta se possa fechar em si mesma e esse é um dos grandes desafios da Assembleia da República", apontou Rui Tavares, esperando que o PS dialogue nesta legislatura e que haja abertura de todos os partidos de esquerda.

O Livre festeja hoje o seu oitavo anivesário e Rui Tavares fez questão de anunciar no seu discurso pós-eleitoral ter escolhido a cidade do Porto para assinalar a data. Foi na Invicta que se deu o primeiro movimento revolucionário que teve por objetivo a implantação do regime republicano em Portugal.

"Já houve um tempo em que lutar pela liberdade significava poder perder a vida. Hoje é diferente. Quero assinalar a excelente votação que tivemos no Porto", disse Rui Tavares, que, embalado pelos resultados desta noite eleitoral, mostrou-se otimista com as próximas lutas eleitorais.

"Não temos dúvidas que o futuro passa por aqui [pelo Livre]. Convido todos a juntarem-se a nós", disse Rui Tavares, que fez questão de realçar que o Livre era o partido com o orçamento mais baixo e com "menos funcionários que os dedos de uma mão".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG