"Esperança e Reinvenção"

Livro que propõe "reflexão" no país após pandemia lançado em Gaia

Livro que propõe "reflexão" no país após pandemia lançado em Gaia

Dezanove empresários, gestores e professores universitários, "independentes, com visão estratégica e um pensamento para o país", indicam possíveis caminhos a seguir no período pós-pandemia. "Esperança e Reinvenção: Ideias para o Portugal do Futuro", coordenado por Luís Ferreira Lopes, é lançado esta quarta-feira em Vila Nova de Gaia. O prefácio é do presidente da República e parte da receita reverte para o Banco Alimentar.

Não se trata de "um manifesto" nem tem "qualquer intenção política, ideológica ou partidária"; é, isso sim, uma obra com o "propósito cívico" de convidar à "reflexão". Quem o garante é Luís Ferreira Lopes, ex-jornalista e assessor de assuntos económicos do presidente da República - que, "enquanto cidadão", desafiou várias personalidades a pensar o país em tempo de pandemia.

Dezanove pessoas de diversas áreas responderam à chamada, entre elas Daniel Bessa, António Mexia, António Rios de Amorim, Isabel Furtado, João Duque ou Nuno Fernandes Thomaz. Todas fornecem a sua "visão sistémica" para o país no "médio/longo prazo", revela Ferreira Lopes.

Os autores abordam questões como os desafios da reindustrialização, o incentivo à produção nacional ou a necessidade de olhar para o turismo "de uma forma diferente", debruçando-se ainda sobre temáticas como a energia, a sustentabilidade, os transportes e o trabalho.

Ao JN, Luís Ferreira Lopes vinca que o livro não pede reformas político-económicas, mas sim a "reinvenção" de certas áreas da sociedade tendo em conta o "impacto brutal" da pandemia. Pretende, acima de tudo, responder a uma questão-chave: agora que "conseguimos pôr a cabeça de fora de água, onde é que nos agarramos? Quais os caminhos que vamos querer trilhar?".

Marcelo: "oportunidade" para "pensar" o país

O presidente da República aceitou fazer o prefácio da obra, a convite de uma das personalidades que assinam um dos textos. Marcelo Rebelo de Sousa escreve que "Portugal merece que não se perca esta oportunidade para pensar [de forma] estrutural, a prazo e com ambição".

O livro é apresentado ao público esta quarta-feira, num hotel de Vila Nova de Gaia. A sessão é limitada à comunicação social, mas vai haver transmissão online.

A receita dos direitos de autor reverte, na totalidade, para a Rede de Emergência Alimentar, promovida pelo Banco Alimentar contra a Fome.

Outras Notícias