Covid-19

Maiores de 18 anos começam a ser vacinados a partir de 4 de julho

Maiores de 18 anos começam a ser vacinados a partir de 4 de julho

A vacinação contra a covid-19 deverá estar aberta a toda a população adulta a partir do dia 4 de julho, de acordo com o vice-almirante Henrique Gouveia e Melo. O coordenador do grupo de trabalho para a vacinação garantiu, na manhã desta quarta-feira, que os jovens com mais de 18 anos começam a ser vacinados a partir dessa data.

"A melhor forma é continuar no processo como o desenhámos, sempre a descer por faixas etárias. É o mais justo. Daqui a 15 dias, temos todas as faixas etárias em processo de vacinação", disse aos deputados da Comissão de Saúde, considerando que o processo de vacinação tem sido "relativamente rápido".

De acordo com Gouveia e Melo, atualmente, quando uma faixa etária atinge os 40% de vacinação inicia-se a inoculação da faixa seguinte. No que toca à vacinação da população migrante, o vice-almirante revelou que os mesmos estão a ser contactados com a ajuda de associações. Trata-se de um "processo atípico", que também já garantiu a vacinação dos sem-abrigo. O coordenador da task-force explicou ainda que o grupo de trabalho está "a criar uma solução" para que os "migrantes irregulares" tenham acesso a um "número temporário" para a vacinação sem que sejam obrigados a regularizar a sua situação no país.

Confrontado com o facto de a mobilidade das pessoas no período de férias poder ter impacto na vacinação, o vice-almirante disse estar a ser equacionada "uma nova metodologia de casa aberta em que, dentro da sua faixa etária, as pessoas podem ir aos centros de vacinação primeiro na sua área de residência e depois eventualmente até fora da sua área de residência", explicou Gouveia e Melo, alertando que "se se deslocarem quatro milhões de pessoas para o Algarve" num mês não será possível vacinar toda a gente nessa região.

"Este processo é um processo de agendamento mais livre. Aliás, o centro militar está a testar os processos de agendamento livre para depois ver se podemos generalizar aos outros centros", referiu.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG