O Jogo ao Vivo

Covid-19

Maioria das 88 mil vacinas desta semana vai para os lares. Vacina da Moderna prestes a chegar

Maioria das 88 mil vacinas desta semana vai para os lares. Vacina da Moderna prestes a chegar

As mais de 88 mil vacinas contra a covid-19 que Portugal recebe nesta semana serão, maioritariamente, "alocadas a Estruturas Residenciais para Idosos", revela, nesta manhã, a ministra da Saúde, Marta Temido, após uma reunião com a "task force" do plano de vacinação.

Segundo a governante, a tranche de 79950 vacinas da Pfizer chegou nesta segunda-feira e tem como público-alvo os idosos residentes em lares. Devendo, ainda, beneficiar, "alguns profissionais de saúde do Serviço Nacional de Saúde (SNS), do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge e da GNR".

A que se juntarão 8400 frascos da Moderna, os primeiros a serem administrados no nosso país após a aprovação, na passada semana, pela Agência Europeia do Medicamento (EMA). Vacinas estas que têm como destino "profissionais de saúde prioritários de hospitais privados em colaboração com o SNS no tratamento a doentes covid-19", precisou Marta Temido. O objetivo, adiantou a governante, "é concluir esta fase de vacinação [lares e profissionais de saúde] ao longo do mês de fevereiro". Até à data, foram administradas mais de 74 mil doses de vacina.

Sobre o polémico aproveitamento, ou não, da 6.ª dose da vacina, a ministra da Saúde esclareceu que desde 30 de dezembro a mesma está a ser utilizada após a Autoridade Nacional do Medicamento ter questionado a EMA sobre essa possibilidade. "A utilização da 6.ª dose leva a um ligeiro aumento das expectativas", disse Marta Temido, sublinhando o "esforço conjunto para a aquisição de mais quantidade". Até lá, e na medida em "há ainda aspetos desconhecidos da vacina relativamente à duração da imunidade", Marta Temido apelou aos portugueses que se "mantenham o mais seguros possível até termos uma cobertura mais alargada". Num momento, frisou, "de enorme pressão sobre o SNS".

Vacina em 165 lares e unidades de cuidados continuados

Sendo a prioridade da vacina prevenir a mortalidade, e com mais de dois terços dos óbitos por SARS-CoV-2 a atingirem a população com mais de 80 anos, o Governo está de olhos postos nos lares e nas unidades de cuidados continuados. Até agora, revelou a governante, a vacina foi já administrada em 165 daquelas estruturas. "Estamos a correr contra o aparecimento de surtos, daí estarmos a acelerar a vacinação em Estruturas Residenciais para Idosos e em unidades de cuidados continuados", explicou a ministra da Saúde. Recorde-se que no total daquelas estruturas, residem mais de 200 mil idosos.

PUB

Quanto às próximas entregas, a 18 de janeiro chega nova tranche da Cominarty, da Pfizer/BioNTech, e a 25 janeiro mais vacinas da Pfizer e da Moderna. Sobre quem recebe que vacina, Temido foi clara. "Quem levou uma 1.ª dose da Pfizer leva a 2.ª dose da Pfizer, não havendo alteração", ao contrário, por exemplo, do que o Reino Unido está a fazer perante a escalada de novos casos diários. Das entregas previstas para esta semana, conforme mencionado, a vacina da Pfizer vai para os lares e alguns profissionais de saúde e a da Moderna para profissionais do setor privado que estão a apoiar o SNS no tratamento de doentes covid-19. Refira-se, por último, que a vacina da Pfizer está indicada a partir dos 16 anos e a da Moderna a partir dos 18 anos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG