Pandemia

Mais de 11 mil reações adversas às vacinas da covid-19

Mais de 11 mil reações adversas às vacinas da covid-19

O Infarmed recebeu mais de 11 mil notificações de efeitos secundários às vacinas contra o SARS-CoV-2. Destas, quatro mil foram consideradas graves.

Até 22 de julho, a Autoridade Nacional do Medicamento (Infarmed) recebeu 11 314 notificações de reações adversas às vacinas contra a covid-19. Destas, 4015 foram consideradas como graves. Até à mesma data foram administradas 11 002 989 inoculações, o que representa, segundo a mesma fonte, um caso de efeitos secundários reportado por cada mil vacinas administradas.

Das vacinas aprovadas pela Agência Europeia do Medicamento (EMA), e administradas no país, é a da AstraZeneca (Vaxzevria) que regista maior número de notificações por mil vacinas dadas, cerca de 1,7. Dos mais de dois milhões de inoculações foram notificadas 3480 reações adversas.

PUB

Nas restantes três, a proporção é de uma reação por mil vacinas. É na da Pfizer (Cominarty), com mais doses datas (7,4 milhões), que foram relatados mais efeitos secundários (6485). A da Janssen, como menos doses (444 mil), também é a que tem menos reações (379). Na da Moderna (Spikevax), em mais de 1,1 milhões de vacinas houve 970 reações.

Na tabela dos casos classificados como graves, verifica-se a ocorrência de 68 mortes (0,6%). Mas o Infarmed sublinha que os óbitos "ocorreram num grupo de indivíduos com uma mediana de idades de 78 anos e não pressupõem necessariamente a existência de uma relação causal" com a vacina, decorrendo "dentro dos padrões normais de morbilidade e mortalidade da população portuguesa".

Houve 2408 casos considerados como "clinicamente importantes", 1087 como "incapacidade", 303 que levaram a "hospitalização" e 116 casos de pessoas que estiveram "em risco de vida".

Dores musculares e de cabeça

As dores musculares (mialgias) foram os efeitos secundários mais reportados, 3044, seguidas das dores de cabeça (cefaleias), 2927, e estados febris (pirexia), 2838.

Menos notificadas foram a astenia (fraqueza) 546, vómitos, 538 e dores nas extremidades corporais 534.

Por idades, é na faixa etária dos 40 aos 49 anos que foram feitas mais notificações: 842 casos graves e 1368 casos não graves. Mas há uma quantidade significativa de notificações cuja idade não foi comunicada.

Por género, as mulheres comunicaram 2752 casos graves e 5048 casos não graves, e os homens 877 casos graves e 1738 casos não graves.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG