O Jogo ao Vivo

Pandemia

Mais de 11 mil reações adversas às vacinas da covid-19

Mais de 11 mil reações adversas às vacinas da covid-19

O Infarmed recebeu mais de 11 mil notificações de efeitos secundários às vacinas contra o SARS-CoV-2. Destas, quatro mil foram consideradas graves.

Até 22 de julho, a Autoridade Nacional do Medicamento (Infarmed) recebeu 11 314 notificações de reações adversas às vacinas contra a covid-19. Destas, 4015 foram consideradas como graves. Até à mesma data foram administradas 11 002 989 inoculações, o que representa, segundo a mesma fonte, um caso de efeitos secundários reportado por cada mil vacinas administradas.

Das vacinas aprovadas pela Agência Europeia do Medicamento (EMA), e administradas no país, é a da AstraZeneca (Vaxzevria) que regista maior número de notificações por mil vacinas dadas, cerca de 1,7. Dos mais de dois milhões de inoculações foram notificadas 3480 reações adversas.

Nas restantes três, a proporção é de uma reação por mil vacinas. É na da Pfizer (Cominarty), com mais doses datas (7,4 milhões), que foram relatados mais efeitos secundários (6485). A da Janssen, como menos doses (444 mil), também é a que tem menos reações (379). Na da Moderna (Spikevax), em mais de 1,1 milhões de vacinas houve 970 reações.

Na tabela dos casos classificados como graves, verifica-se a ocorrência de 68 mortes (0,6%). Mas o Infarmed sublinha que os óbitos "ocorreram num grupo de indivíduos com uma mediana de idades de 78 anos e não pressupõem necessariamente a existência de uma relação causal" com a vacina, decorrendo "dentro dos padrões normais de morbilidade e mortalidade da população portuguesa".

Houve 2408 casos considerados como "clinicamente importantes", 1087 como "incapacidade", 303 que levaram a "hospitalização" e 116 casos de pessoas que estiveram "em risco de vida".

Dores musculares e de cabeça

PUB

As dores musculares (mialgias) foram os efeitos secundários mais reportados, 3044, seguidas das dores de cabeça (cefaleias), 2927, e estados febris (pirexia), 2838.

Menos notificadas foram a astenia (fraqueza) 546, vómitos, 538 e dores nas extremidades corporais 534.

Por idades, é na faixa etária dos 40 aos 49 anos que foram feitas mais notificações: 842 casos graves e 1368 casos não graves. Mas há uma quantidade significativa de notificações cuja idade não foi comunicada.

Por género, as mulheres comunicaram 2752 casos graves e 5048 casos não graves, e os homens 877 casos graves e 1738 casos não graves.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG