Legislativas

Mais de 260 mil inscritos no voto antecipado até ao meio-dia

Mais de 260 mil inscritos no voto antecipado até ao meio-dia

Mais de 260 mil eleitores estão inscritos para o voto antecipado em mobilidade nas eleições legislativas. É o registo até ao meio-dia desta quinta-feira, que é o último dia de inscrições. No entanto, já há mais registados do que para as presidenciais de 2021.

Embora o número de inscrições esteja muito aquém da capacidade instalada (o Governo, em articulação com as autarquias, garantiu a possibilidade inscrição de 1,2 milhões de eleitores para o primeiro momento de votação em massa no dia 23), contam-se já 260 183 registados até ao meio-dia desta quinta-feira. Hoje é o último dia de inscrição para quem deseja votar antecipadamente no dia 23. Se quiser fazê-lo, terá de registar-se até ao final do dia.

Ao longo da manhã, inscreveram-se mais 13 136 eleitores. O dia de quarta-feira fechou com um total de 247 047 registos.

A inscrição para o voto antecipado em mobilidade pode ser feita através do seguinte site: www.votoantecipado.mai.gov.pt

Nas legislativas de 2019, houve cerca de 56 mil inscrições para a votação em mobilidade, dos quais 50 638 foram efetivamente votar antecipadamente. Nas presidenciais, com novas regras e em tempo de pandemia, o número de inscritos quadruplicou: 246 922 eleitores registaram-se e 197 903 votaram antecipadamente em janeiro de 2021. Aliás, a enorme adesão obrigou os municípios a instalarem mais mesas do que previsto. Ainda assim, em muitos concelhos, viram-se longas filas de espera para votar. À data, foram abertas 675 secções, mobilizando 3375 membros de mesa.

Como noticiou o JN, nas próximas legislativas, o Ministério da Administração Interna confirmou que haverá 2606 secções de voto antecipado por todo o país, mobilizando 13 030 membros de mesa. O objetivo é que, no dia 23, possam votar 1,2 milhões de eleitores, "o que dá cerca de mais 20% daquilo que é a votação habitual em termos de legislativas", esclareceu já o secretário de Estado Adjunto e da Administração Interna Antero Luís, apelando aos portugueses que se inscrevam no voto em mobilidade. O objetivo é que as pessoas votem o quanto antes, evitando a possibilidade de uma infeção por covid até ao final do mês.

PUB

Saiba mais sobre o voto antecipado em mobilidade:

Todos os eleitores podem pedir para votar antecipadamente, ou seja, antes do dia 30?

Sim, o voto antecipado em mobilidade está disponível para qualquer eleitor no território nacional. Na prática, em vez de ir às urnas no dia 30 janeiro, terá de deslocar-se a uma mesa de voto predefinida no dia 23. E pode votar em qualquer município do país, não estando obrigado a votar apenas no concelho onde se encontra recenseado. É designado voto em mobilidade, porque o cidadão escolhe o local em que exerce o seu direito ao sufrágio.

O que tem de fazer para votar em mobilidade?

Para exercer esse direito no dia 23, tem de inscrever-se até quinta-feira, dia 20. Pode registar-se através da plataforma eletrónica disponibilizada pela Secretaria Geral do Ministério da Administração Interna (www.votoantecipado.mai.gov.pt/) ou enviar um requerimento por via postal ou por e-mail para a administração eleitoral daquela secretaria geral (com nome completo, data de nascimento, número de identificação civil, morada, contacto telefónico e endereço eletrónico). No dia 23, deve dirigir-se à mesa indicada após o registo.

Inscreveu-se, mas não consegue ir votar no dia 23. Pode votar no dia da eleição?

Sim, os eleitores inscritos para o voto antecipado em mobilidade não perdem o direito ao sufrágio, caso não consigam exercer esse dever no dia 23 de janeiro. Nesse caso, pode votar no concelho onde está recenseado no dia 30. Nessa data, já não pode escolher outro município para votar. Para saber qual é a sua secção de voto no dia 30, consulte o portal www.recenseamento.mai.gov.pt/ ou envie um SMS para o número 3838.

Quem está confinado também pode votar?

Sim, a atual lei já prevê o voto das pessoas confinadas por doença covid ou isoladas por terem tido um contacto de risco. No entanto, depende de duas condições: inscrição prévia e estar confinado no concelho onde se encontra recenseado. Os eleitores isolados têm de inscrever-se entre os dias 20 e 23. O registo pode ser efetuado na plataforma eletrónica da Secretaria Geral do Ministério da Administração Interna (www.votoantecipado.mai.gov.pt/) ou solicitado na junta de freguesia onde está recenseado, através de outra pessoa que terá de apresentar uma declaração assinada pelo confinado, acompanhada da cópia do Cartão de Cidadão. Todos os municípios têm o dever de criar brigadas municipais (aliás, face à evolução da pandemia, serão reforçadas) que, entre os dias 25 e 26, irão buscar os votos ao domicílio. O Governo admite que quem estiver confinado na última semana de janeiro e, como tal, já não pode inscrever-se para a votação no domicílio, é livre de deslocar-se a uma mesa de voto no dia 30.

Os eleitores infetados ou em isolamento só podem votar numa determinada hora no dia 30?

Não, mas o Governo recomenda que o façam entre as 18 e as 19 horas, altura em que os membros das mesas de voto terão um reforço dos equipamentos de proteção, como bata e máscara cirúrgica ou FP2.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG