Fogo

Os incêndios que pintaram o país de negro "no pior dia do ano"

Os incêndios que pintaram o país de negro "no pior dia do ano"

António Costa declarou calamidade pública em todos os distritos a norte do Tejo, num dia em que houve 523 ocorrências de incêndios e seis pessoas morreram.

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) classificou domingo como "o pior dia do ano". Como tal, e como as previsões meteorológicas podem ajudar no combate às chamas, mas poderão não "ter impacto" de monta no terreno, a Proteção Civil decidiu alargar o alerta vermelho vigente até às 20 horas de segunda-feira.

Patrícia Gaspar, da Proteção Civil, salientou que os incêndios que mais preocupação estão a causar às autoridades são os que estão em curso e a ameaçar habitações nos distritos de Aveiro, Coimbra, Castelo Branco e Viana do Castelo.

Pelas 3 horas, estavam em curso 117 incêndios, que mobilizavam 5889 operacionais e 1783 veículos. Às 7 horas da manhã, estavam registadas 125 ocorrências (65 fogos ativos, 17 em resolução e 43 em conclusão).Ao todo, esta segunda-feira de manhã estavam no terreno 5825 operacionais, apoiados por 1762 viaturas.

Chamas entram na Base Aérea de Monte Real

O incêndio que lavra em Vieira de Leiria, concelho da Marinha Grande, entrou no perímetro da Base Aérea n.º 5, em Monte Real, mas a situação está "aparentemente controlada", segundo a Força Aérea Portuguesa (FAP).

PUB

Fonte oficial da FAP explicou à agência Lusa, pelas 2.40 horas desta segunda-feira, que o facto de as chamas terem entrado na base aérea, levou à ativação do plano de contingência e à deslocalização da parelha de alerta de caças F-16 do local onde estava estacionada para uma outra zona desta unidade militar.

Mortágua, Santa Comba e Penacova as regiões mais afetadas por falhas de energia

Mortágua, Santa Comba e Penacova são as regiões mais afetadas por falhas de energia, divulgou a EDP que tem no terreno todas as equipas a avaliar estragos nas redes de média e baixa tensão.

"Ainda não foi possível, nem com escolta da GNR, chegar às subestações que abastecem as zonas", mas "Mortágua, Santa Comba e Penacova são as regiões mais afetadas por falhas de energia", divulgou o gabinete de comunicação da EDP Comercial à agência Lusa.

Escola Secundária de Alfena atingida pelas chamas

A escola secundária de Alfena, em Valongo, foi este sábado atingida pelas chamas do incêndio que deflagrou na localidade às 15 horas de domingo, não sendo possível precisar a totalidade dos danos, disse à Lusa fonte dos bombeiros do concelho.

Desaparecidos em Nelas

Duas pessoas estavam desaparecidas no concelho de Nelas, onde há "fogo por todo o lado", casas ardidas, centenas de pessoas deslocadas e faltam meios de combate, disse o comandante dos bombeiros locais. Uma das pessoas acabou por encontrada sem vida, confirmou a Proteção Civil.

Proteção Civil cria centro de apoio de emergência em Viseu

A Autoridade Nacional de Proteção Civil, através do Comando Distrital de Operações e Socorro de Viseu, criou um Centro de Apoio de Emergência situado no quartel do Regimento de Infantaria 14, em Viseu. A Câmara Municipal está também a acolher cidadãos no Quartel dos Bombeiros Municipais.

Foi ativado o Plano Municipal de Emergência.

Zona industrial destruída em Oliveira de Frades

Chamas destruíram a zona industrial de Oliveira de Frades, no distrito de Viseu, esta madrugada.

Vítima indireta

Dois carros chocaram este domingo à noite, cerca das 20.30 horas, na A25, junto à estação de serviço de Vouzela, no sentido Viseu - Aveiro, onde circulavam carros em contramão. Uma pessoa morreu no acidente, confirmou o comandante dos Bombeiros de Oliveira de Frades.

Oliveira do Hospital

Uma pessoa morreu num incêndio em Oliveira do Hospital, soube-se cerca da 1 hora da manhã.

Sapadores de Gaia não conseguem responder a todas as solicitações

Os vários incêndios que lavravam pelas 23 horas de domingo em Vila Nova de Gaia estavam "descontrolados", disse à Lusa fonte dos sapadores bombeiros, acrescentando que estes estão "materialmente e humanamente indisponíveis" para responder às muitas solicitações.

Comandante dos bombeiros de Oliveira de Frades lança apelo desesperado

O comandante dos Bombeiros Voluntários de Oliveira de Frades apelou, esta noite, a que a população se refugie no pavilhão gimnodesportivo da vila. Fernando Farreca queixa-se de falhas nas comunicações e pede mais meios para combate ao fogo, bem como apoio psicológico e médico. As chamas estão a entrar na vila e a população está a tentar abrigar-se no quartel dos bombeiros. A zona industrial "foi dizimada".

Sapador ferido em Mafra

Um sapador florestal sofreu domingo queimaduras no incêndio na freguesia da Enxara/Gradil/Vila Franca do Rosário, concelho de Mafra, onde foi ativado o Plano Municipal da Proteção Civil, disse fonte oficial da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC).

O fogo foi dominado esta segunda-feira de madrugada, segundo informação da Proteção Civil.

Três vítimas mortais

Incêndio em Penacova provocou a morte a duas pessoas, disse Patrícia Gaspar, da Proteção Civil. Na Sertã, um pessoa também morreu devido às chamas.

Famílias evacuadas em Braga

Dezenas de moradores na Falperra, em Braga, foram retirados de casa. "Os moradores estão a ser aconselhados a sair de casa por precaução. As chamas estão muito perto e o incêndio não está controlado", disse ao JN fonte da proteção civil. Pelo menos, duas casas foram destruídas.

Um grupo de militares do Pelotão de Intervenção Rápida da GNR de Braga esteve cercado pelas chamas ao final da tarde, no Monte de Santa Marta da Falperra, mas conseguiu escapar.

Fogo obriga à evacuação de aldeias próximas da A25

As aldeias de Oliveira de Frades, junto à autoestrada A25 (Viseu-Aveiro) estão a ser ameaçadas pelas chamas. "O fogo atingiu grandes dimensões junto à A25. Há chamas por todo o lado, casas a arder e casas que estão a ser evacuadas, nomeadamente na aldeia de Sobreira", afirmou ao JN Fernando Farreca, comandante dos bombeiros de Oliveira de Frades.

Combate com evolução favorável em Olho Marinho, Óbidos

Um incêndio descontrolado lavra em Óbidos e a centena de bombeiros no terreno está apenas a proteger habitações das aldeias de Casais Ladeira, Perna de Pau e Olho Marinho face à escassez de meios, disse o comandante dos bombeiros locais.

Maior número de operacionais concentrados na Lousã

O combate ao incêndio que deflagrou em Óbidos às 15:40 de domingo estava às 03:00 a evoluir favoravelmente, apesar de a única frente ativa lavrar num local sem acesso, informaram os bombeiros.

"Os trabalhos estão a correr favoravelmente apesar de haver ainda uma frente ativa num local sem acesso, num vale encaixado, perto da localidade de Olho Marinho", disse à agência Lusa o comandante dos bombeiros de Óbidos, Carlos Silva.

O Plano Municipal de Emergência e Proteção Civil foi ativado. O incêndio, que às 8.41 horas, alastrou a Vila Nova de Poiares, onde destruiu vários armazéns e pelo menos três casas, tendo avançado depois para o concelho de Penacova. As chamas levaram à evacuação de várias localidades (Serpins, Alcaide, Póvoa e Boque) e ao corte de estradas.

Trinta pessoas retiradas de casa em Seia

Logo a seguir ao incêndio da Lousã, o mais preocupante é o de Seia, no distrito da Guarda, que teve início às 6 horas de hoje no Sabugueiro, e que tinha quatro frentes ativas. Eram 306 os operacionais que tentavam apagar as chamas, apoiados por 93 veículos e um helicóptero. O incêndio obrigou ao corte da EN17. Trinta pessoas foram retiradas.

Treze pessoas hospitalizadas em Vale de Cambra

Dois bombeiros e seis civis foram levados para o hospital (estes últimos por ansiedade). Outros cinco operacionais ficaram feridos num despiste seguido de capotamento quando combatiam as chamas.

O fogo consumiu, pelo menos, três viaturas, e algumas habitações na vila de Macieira de Cambra.

O presidente da Câmara de Vale de Cambra, José Pinheiro, disse à Lusa que o incêndio que deflagrou domingo de manhã está mais "calmo" e quase "controlado", porém deu conta de um outro fogo que começou este sábado de madrugada.

Segundo o autarca, esta nova ocorrência surgiu a cerca de 30 quilómetros do primeiro incêndio, por volta das 00:30, mas disse não ter mais informação por ainda se estar a deslocar para o local.

Lar evacuado e parque de campismo destruído em Vieira de Leiria

O lar de idosos da Bajanca, na freguesia de Vieira da Leiria, do concelho de Marinha Grande, foi evacuado por precaução na sequência de um incêndio. O presidente da Junta de Freguesia de Vieira de Leiria, Joaquim Vidal Tomé, disse à agência Lusa que outras pessoas residentes na zona do Parque da Campismo da Praia da Vieira também foram retiradas.

O parque de campismo da Praia da Vieira foi consumido pelas chamas, constatou a agência Lusa no local pouco depois das 20 horas. Este incêndio, de acordo com o presidente da Câmara da Marinha Grande, no distrito de Leiria, está incontrolável.

Fogo na Sertã obrigou à retirada de pessoas

O fogo na Sertã, no distrito de Castelo Branco, continuava com duas frentes ativas, depois de ter começado pelas 12 horas na localidade de Ponte de Portelinhas. As chamas estavam a ser combatidas por 276 operacionais, apoiados por 82 veículos. Obrigou à retirada de algumas pessoas de aldeias, para o lar e o centro de saúde locais.

Fogo "completamente descontrolado" consumiu casas em Monção

As duas frentes ativas do fogo em Monção, no distrito de Viana de Castelo, eram combatidas por 226 operacionais apoiados por 63 veículos. A Estrada Municipal entre Longos Vales para Merufe está cortada. O fogo arde há quase 24 horas e encontrava-se "completamente descontrolado" pelas 13.50 horas, tendo consumido várias casas.

Merufe, Barbeita, Troviscoso, Longos Vales, Bela, Lordelo, Sago, Parada, Anhões são as freguesias atingidas pelas chamas.

A vice-presidente da Câmara de Monção disse que foi decidida a evacuação do lar de idosos da freguesia de Merufe, onde teve início o incêndio que lavra desde as 20.21 horas de sábado". "A situação está sempre a piorar. Já temos 11 freguesias afetadas pelo fogo. Já demos ordem para evacuar o lar de idosos de Merufe e, durante a madrugada vamos avaliar a evacuação do lar de Podame", afirmou Conceição Soares.

Dois incêndios em Alcobaça

Em Alcobaça, no distrito de Leiria, dois incêndios: um na localidade de Burinhosa era combatido por 154 operacionais e 47 meios terrestres e outro na localidade da Praia da Légua, onde 118 operacionais tentavam apagar as chamas, apoiados por 36 veículos e um helicóptero.

Situação complicada em Cantanhede

Quarenta doentes internados no hospital Rovisco Pais, em Cantanhede, foram concentrados num único pavilhão, naquela mesma unidade de saúde, disse fonte da Administração Regional de Saúde do Centro (ARSC). "Todos os doentes estão em segurança", disse a mesma fonte.

A presidente da Câmara de Cantanhede, Helena Teodósio, caracterizou hoje de "tremendo" o incêndio que começou em Quiaios, Figueira da Foz, e que alastrou àquele concelho, obrigando à evacuação do parque de campismo da Praia da Tocha.

Uma fábrica, casas e anexos foram destruídos pelo incêndio.

Mais de 100 operacionais combatiam incêndios em Óbidos (Leiria), na Figueira da Foz e Arganil (Coimbra), e mais de 50 tentavam apagar as chamas em Santo Tirso (Porto), Vagos (Aveiro), Guimarães (Braga), Resende (Viseu), Braga (Braga) e Cinfães (Viseu).

Outras Notícias