Aferição

Mais de 62 mil alunos começam hoje provas de diagnóstico

Mais de 62 mil alunos começam hoje provas de diagnóstico

Escolas vão apurar que competências ficaram para trás no 2.º, 5.º e 8.º anos durante a pandemia. Aguardam pelos recursos que terão em setembro.

A ronda de testes de diagnóstico às competências aprendidas no ano letivo que agora termina começa esta segunda-feira com uma prova de Matemática de 8.º ano e de Português de 5.º ano, envolvendo no total cerca de 62 mil alunos (o 2.º ano também será envolvido).

Segundo o Instituto de Avaliação Educativa (IAVE), as provas irão decorrer em 1040 escolas públicas e privadas de todo o país, no que pretende ser uma amostra representativa do sistema educativo. O objetivo é saber até que ponto os alunos apreenderam as competências essenciais de cada disciplina, após dois anos de aulas online.

As escolas selecionadas pelo Ministério da Educação foram avisadas há cerca de dois meses de que fariam parte deste exercício de diagnóstico, disseram os presidentes das duas associações de diretores de escola, Manuel Pereira (ANDE) e Filinto Lima (ANDAEP). Curiosamente, nenhum dos agrupamentos de escola que dirigem foi selecionado. Já o Agrupamento de Escolas de Valadares, em Vila Nova de Gaia, garante estar pronto para as fazer.

A diretora, Fernanda Ferrão, adiantou ao JN que serão envolvidos cerca de 40% dos alunos do 5.º ano das três escolas do agrupamento. De fora ficarão os alunos com necessidades específicas, uma vez que seguem um currículo adaptado. Quanto aos restantes alunos, as provas são iguais para todos e vão concentrar-se nos "conhecimentos essenciais". Ou seja, as perguntas incidirão sobre os conteúdos dados como fundamentais em cada disciplina.

Uma outra diferença face a anos anteriores é o anonimato. Se, antes, a prova de cada aluno tinha de ser anonimizada, para correção, e, depois, identificada, agora não é necessária a reserva da identidade do aluno. "Haverá muito menos burocracia e mais objetividade de aferição", disse.

PUB

Falta saber recursos

Valadares já está a apurar que aprendizagens ficaram para trás. As disciplinas práticas, como a Física e Química, Ciências ou Matemática, estão entre as mais prejudicadas. Além disso, nota Fernanda Ferrão, os dois confinamentos e as aulas online também afetaram as competências relacionais dos alunos: "Alguns estão mais prostrados, outros mais exaltados, teremos de trabalhar de perto com todos para os ressocializar".

O Ministério da Educação ainda não publicou o despacho normativo com a organização do ano letivo, onde constam os recursos dados a cada escola.

Calendário das provas de diagnóstico

Hoje, serão distribuídas as provas de Matemática (8.º ano) e Português e Português língua segunda (5.º). Quarta-feira será a vez de Inglês (dos mesmos dois anos letivos) e sexta-feira decorrerá a prova de 2.º ano de Português e Estudo do Meio. A última está marcada para 21 de junho: Matemática e Estudo do Meio, também do 2.º ano. Tal como no ano passado, não haverá provas no 9.º ano.

Secundário começa exames em julho

A primeira fase dos exames nacionais vai de 2 de julho (Português) a 16 de julho (Geografia). A segunda fase decorrerá em setembro. Este ano, por decisão do Parlamento (e contra a vontade do Governo), poderá ir a exame quem queira melhorar a nota.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG