Menores

Metade das crianças para adoção ficam nas instituições

Metade das crianças para adoção ficam nas instituições

Lei da Adoção tem dois anos e alguns prazos foram encurtados, do princípio ao fim do processo, mas os números não registam grandes diferenças.

A nova Lei da Adoção tem já dois anos, mas, apesar de ter encurtado prazos, para se agilizarem os processos, as adoções decretadas continuam a ficar aquém das crianças inicialmente propostas. Em 2016, das 830 que tinham como projeto de vida a adoção - entre as 8175 que estavam institucionalizadas -, apenas 361 viram esta medida ser confirmada judicialmente. Ou seja, menos de metade. Quem está no terreno diz que, "para começar, o acolhimento nas instituições deveria mesmo ser temporário".

Leia a nossa Edição Impressa ou tenha acesso a todo o conteúdo no seu computador, tablet ou smartphone assinando a versão digital aqui

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG