Política

Mais de metade do Governo saiu do Parlamento

Mais de metade do Governo saiu do Parlamento

Doze dos 19 ministros escolhidos por António Costa para formarem o seu segundo Governo foram eleitos deputados nas legislativas do passado dia 6, dos quais cinco foram cabeças de lista. Todos serão substituídos.

A composição do novo Governo, anunciada na terça-feira, vai obrigar a mexidas entre os eleitos para a Assembleia da República. É que, dos 19 ministros escolhidos por António Costa, 12 (63,1%) foram eleitos deputados nas legislativas do passado dia 6, sendo que cinco eram cabeças de lista: Tiago Brandão Rodrigues, Pedro Nuno Santos, Marta Temido, Ana Mendes Godinho e Alexandra Leitão.

A primeira alteração impôs-se assim que António Costa foi indigitado primeiro-ministro pelo presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. Costa, que foi cabeça de lista por Lisboa, num círculo onde os socialistas elegeram 20 deputados, vai ser substituído pelo secretário de Estado do Emprego Miguel Cabrita.

Mas há outras quatro alterações em Lisboa. Com a escolha de Mariana Vieira da Silva para ministra da Presidência torna-se deputada a vereadora da Câmara da Amadora, Rita Madeira. Já Mário Centeno, que permanece com a Tutela das Finanças, será substituído pelo líder do PS/Alenquer, Diogo Leão, que foi deputado na anterior legislatura. Por sua vez, a ministra da Cultura, Graça Fonseca (que concorreu em sexto lugar da lista), será substituída pelo engenheiro de ambiente João Nicolau, com 30 anos. Já o ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho dará lugar a Alexandra Moura, que entrou na lista por indicação da Concelhia de Oeiras.

Lisboa foi, assim, o círculo eleitoral que implicou mais alterações na composição do Parlamento. Segue-se Santarém, onde a cabeça de lista Alexandra Leitão, por assumir a pasta da Modernização do Estado e da Administração Pública, vai ser substituída pelo quinto lugar da lista onde o PS teve quatro eleitos. Trata-se de Manuel Afonso, ex-vereador da Câmara de Santarém. Já a escolha de Maria do Céu Albuquerque (quarto lugar da lista) para assumir a pasta da Agricultura, que era de Capoulas dos Santos, vai levar à entrada no Parlamento de Mara Lagriminha, presidente do Departamento Federativo das Mulheres Socialistas.

Em Setúbal, a manutenção de Eduardo Cabrita como ministro da Administração Interna vai levar a que Sofia Araújo, que já era deputada, continue na Assembleia da República. Em Viana do Castelo, o ministro da Educação Tiago Brandão Rodrigues vai ser substituído por José Manuel Carpinteira, que já era deputado. Em Aveiro, Pedro Nuno Santos, que se mantém a tutelar as Infraestruturas, vai dar um assento a Bruno Aragão, líder do PS/Oliveira de Azeméis.

Entre os 12 ministros que foram eleitos deputados no passado dia 6 encontra-se ainda João Pedro Matos Fernandes, que continua a tutelar o Ambiente e será substituído pelo vereador da Câmara de Gondomar, Carlos Brás. A ministra da Saúde, Marta Temido, que encabeçou a lista por Coimbra, vai dar lugar a João Gouveia, genro do presidente da Distrital socialista, Pedro Coimbra. E, na Guarda, Ana Mendes Godinho, que vai substituir Vieira da Silva na pasta do Trabalho e da Segurança Social, vai levar à entrada no Parlamento de Cristina Sousa, vice-presidente da Câmara de Seia.