Regresso às aulas

Mais de quatro milhões de máscaras para as escolas

Mais de quatro milhões de máscaras para as escolas

Mais de quatro milhões de máscaras vão ser distribuídas pelas cerca de 500 escolas secundárias que voltam a ter aulas presenciais a partir de dia 18, divulgou esta terça-feira o primeiro-ministro.

Além de máscaras, também viseiras, luvas, gel desinfetante, aventais e produtos de higienização estão a ser distribuídos pelas escolas pelas Forças Armadas.

"Foi um esforço financeiro enorme", mencionou António Costa, sem revelar o investimento feito nesta primeira leva de material que vai ser entregue para assegurar um regresso seguro dos estudantes do 11.º e 12.º anos ou dos 2.º e 3.º anos de cursos de dupla certificação.

Costa visitou esta terça-feira com os ministros da Educação e da Defesa a Unidade de Apoio Geral de Material do Exército, em Benavente, uma das duas dezenas de unidades militares onde se encontram os equipamentos de proteção individual que vão ser distribuídos pelas escolas esta semana.

O primeiro-ministro insistiu em transmitir uma mensagem "de confiança", garantindo que o regresso às aulas presenciais foi feito com "prudência", por exemplo, reorganizando horários e reduzindo a permanência de alunos e professores nos estabelecimentos.

"Para que todos sintam a maior tranquilidade possível" porque o vírus, frisou o primeiro-ministro, "não existe nas escolas. É cada um de nós que o transporta". E, por isso, é preciso interiorizar e cumprir as regras: usar máscara, lavar as mãos, manter o distanciamento social, as normas de higienização e de etiqueta respiratória. "Só mantendo a pandemia controlada poderemos ir retomando o dia a dia", defendeu.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG