Presidente da República

Marcelo admite problema cardíaco e que saúde pode condicionar candidatura

Marcelo admite problema cardíaco e que saúde pode condicionar candidatura

O Presidente da República admitiu sofrer de um problema cardíaco e anunciou que vai realizar um cateterismo nas próximas semanas. O estado de saúde com que estará daqui a um ano condicionará uma eventual recandidatura à presidência.

Numa entrevista a Daniel Oliveira, que vai ser exibida na íntegra, no próximo sábado, na SIC, anunciou que tem feito exames cardíacos e que tem, inclusivamente, marcado um cateterismo, procedimento utilizado para diagnosticar ou tratar doenças cardíacas.

"O meu avô era cardíaco, o meu pai era cardíaco (...) E portanto eu achei que devia fazer exames também em matéria cardíaca. A minha hipocondria mandou fazer. E fiz e, felizmente, genericamente estão bem, mas restou uma dúvida que vai obrigar a um novo exame. E portanto vou ter que fazer daqui a umas semanas um cateterismo", devido a uma acumulação de cálcio num vaso sanguíneo, disse.

Questionado sobre se o estado de saúde pode condicionar uma eventual recandidatura à presidência, Marcelo Rebelo de Sousa diz que quer continuar a ser um presidente próximo dos cidadãos e que, para isso, a sua condição física é vital.

"Eu não vou mudar de estilo. Se for candidato e se for eleito, não vou fechar-me no Palácio, deixar de ir, para me preservar, para não me expor. É evidente que terei de fazer exames", assegurou, esclarecendo que "o resultado das eleições legislativas" não criou "nenhum fator perturbador" em relação à possibilidade de se recandidatar.