Pandemia

Marcelo: se Portugal facilitar na Páscoa será como "morrer na praia"

Marcelo: se Portugal facilitar na Páscoa será como "morrer na praia"

O Presidente da República disse este sábado aos jornalistas que a decisão da promulgação do alargamento dos apoios aos trabalhadores devido à pandemia só será tomada este domingo ou na próxima segunda-feira.

O Governo foi acusado pelo Bloco de Esquerda de exercer pressão sobre Marcelo Rebelo de Sousa para vetar o diploma que alarga os apoios sociais a sócios-gerentes, trabalhadores independentes, aos profissionais de saúde e ainda aos pais que têm de ficar em casa por causa do encerramento das escolas. Porém, o chefe de Estado disse este sábado, no Palácio de Belém, que a decisão ainda não está tomada.

O diploma foi aprovado há três semanas no Parlamento com votos favoráveis de todos os partidos, com exceção do Partido Socialista (PS).

Marcelo Rebelo de Sousa, que assinalou este sábado o Dia Mundial do Teatro com a receção de uma companhia no Palácio de Belém, afirmou que o plano de vacinação em Portugal deverá sofrer uma "aceleração" no segundo trimestre deste ano, assim que haja mais vacinas disponíveis. Este sábado, milhares de funcionários docentes e não docentes começaram a ser vacinados contra a covid-19 em todo o país.

Quanto à época pascal, o Presidente da República reforçou o pedido de cautela, já feito na mensagem que dirigiu ao país na passada quinta-feira. "É fundamental que as pessoas percebam que a Páscoa tem de correr bem", afirmou. "Eu percebo que as pessoas estejam cansadas, mas os casos na Europa estão a subir, o que não acontece em Portugal". Marcelo admitiu que seria "morrer na praia", caso os números da pandemia voltassem a "disparar".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG