Festa do Avante

"Marcelo cada vez comenta mais e faz menos", diz Arménio Carlos

"Marcelo cada vez comenta mais e faz menos", diz Arménio Carlos

Presente na 44.ª edição da Festa do Avante, Arménio Carlos teceu duras críticas a Marcelo Rebelo de Sousa, afirmando que o Presidente da República devia comentar menos e ter mais atenção às suas funções presidenciais.

Questionado em relação ao facto de Marcelo ter dito não estar "tão otimista" como o PCP face à realização do evento, o antigo secretário-geral da CGTP defendeu que "há, aqui, uma subversão da discussão".

"Esta festa tem 30 hectares e um limite de 16.500 pessoas, respeita integralmente todas as orientações da DGS mas os mesmos que põem em causa a festa do Avante são os que apelaram às pessoas para irem às feiras do livro de Lisboa e do Porto", realçou, acrescentando que o espaço desses eventos é muito mais pequeno, tendo, contudo, um limite de "3300 pessoas".

Além disso, realçou que, em outubro, Portugal "vai ter dois grandes prémios, um de Fórmula 1 e outro de motas". "Eu estou de acordo com a realização dessas iniciativas. Mas, há poucas semanas, só para a prova de motas, já tinham sido vendidos 28 mil bilhetes. Será que o perímetro do Autódromo do Algarve é superior ao da Festa do Avante? Não é de certeza", frisou.

Assim, para Arménio Carlos, o chefe de Estado "deve ter mais atenção às suas funções presidenciais e fazer menos papel de comentador".

PUB

O antigo secretário-geral da CGTP afirmou ainda que não está disponível para assumir a função de secretário-geral do partido. "Eu disse que quando deixasse de ser secretário-geral da CGTP não iria assumir nenhum cargo político com responsabilidades acrescidas e, portanto, estou disponível para fazer aquilo que sempre fiz - e que estou a fazer - voltar ao meu local de trabalho, na Carris, mas não estou disponível para ser secretário-geral do PCP", adiantou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG