Confinamento

Marcelo deixa aviso: Governo terá o seu apoio se quiser apertar as medidas

Marcelo deixa aviso: Governo terá o seu apoio se quiser apertar as medidas

Depois de uma reunião de quase uma hora com a administração do Hospital de Santa Maria, em Lisboa, o Presidente da República fez novo apelo aos portugueses, avisando que poderá ser necessário restringir ainda mais as medidas de combate à pandemia.

Muito crítico da atuação dos portugueses nestes primeiros dias de confinamento, o chefe de Estado recordou que "confinar é confinar, não é confinar mais ou menos".

"A situação é muito crítica para os políticos e para os portugueses em geral e os políticos têm que analisar as medidas dia a dia, para ver se é preciso restringir mais", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa, acrescentando que "na próxima renovação do estado de emergência, a 29 deste mês, se for necessário reponderar medidas, o Governo terá o apoio do Presidente da República".

Minutos antes, a ministra da Saúde, Marta Temido, tinha avisado que todo o sistema de saúde está numa situação de "extremo sobreesforço" e pediu aos portugueses para "por favor, ficarem em casa".

Em visita ao Hospital Garcia de Orta, em Almada, que está numa situação crítica, Marta Temido deixou avisos e um forte apelo à população para que cumpra o confinamento.

"Há um limite e estamos muito próximos do limite. Os portugueses precisam de saber isto", disse a ministra da Saúde, num tom de preocupação.

PUB

Portugal reportou, este domingo, mais de 10 mil casos diários de covid-19, pelo quinto dia consecutivo, e registou 152 mortes nas últimas 24 horas , para um total de 8861 óbitos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG