Homenagem

Marcelo destaca "serenidade" e "coragem" de Sampaio

Marcelo destaca "serenidade" e "coragem" de Sampaio

Do "furacão ruivo" nas lutas estudantis no tempo do Estado Novo até ao "homem bom" que acolheu refugiados sírios: em minutos, Marcelo Rebelo de Sousa traçou o fio da vida de Jorge Sampaio. "Poderia ter-se resignado ao caminho mais fácil de um jurista privilegiado", mas escolheu, ao invés, "o mais ingrato": o a defesa dos mais vulneráveis.

No Palácio de Belém, que Jorge Sampaio habitou durante dois mandatos, o atual presidente da República prestou homenagem à "corajosa serenidade" demonstrada por "um grande senhor da nossa pátria".

Marcelo Rebelo de Sousa recordou o ativismo contra a ditadura, nas revoltas estudantis e na defesa de presos políticos; na forma como construiu pontes dentro e fora do Partido Socialista - como quando formou a primeira coligação pré-eleitoral à Esquerda, na corrida à Câmara de Lisboa; ou, mais tarde, os "meses sem dormir" enquanto Timor Leste era massacrado pela Indonésia. Ou ainda a oposição à invasão do Iraque, apoiada por Portugal.

De Sampaio, diz Marcelo Rebelo de Sousa, fica um duplo legado: o da "liberdade e igualdade" e da "inteligência e sensibilidade".

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG