Cerimónia no Porto

Marcelo diz que é preciso "tudo fazer" para "defender a liberdade"

Marcelo diz que é preciso "tudo fazer" para "defender a liberdade"

O Presidente da República disse esta terça-feira, no Porto e numa cerimónia com líderes e representantes de várias confissões religiosas, que é preciso "tudo fazer" para "defender a liberdade", num tempo em que "é tão sedutor encontrar bodes expiatórios".

"Apelo para que, em salutar diálogo e convergência de propósitos, tudo façamos para defender a liberdade, a tolerância e a compreensão mútua, num tempo em que é tão sedutor dividir e catalogar, encontrar bodes expiatórios, acusar sem fundamento, marginalizar sem humanidade", disse Marcelo Rebelo de Sousa.

O Presidente da República, que tomou hoje posse para um segundo mandato depois de ter vencido as eleições Presidenciais que decorreram a 24 de janeiro, falava na Câmara Municipal do Porto, onde presidiu a uma a cerimónia ecuménica que contou com a participação de representantes de mais de uma dúzia de confissões religiosas presentes em Portugal.

"Portugal agradece o vosso contributo ao longo de um ano de pandemia. [O contributo] dado a milhares e milhares de Portugal. Portugal pede-vos um novo contributo por palavras e por obras para a pacificação dos espíritos, a aceitação do diferente, a aceitação do diverso, a aceitação do estranho", disse o Presidente da República que antes da cerimónia reuniu com o presidente da autarquia do Porto, o independente Rui Moreira, numa sessão à porta fechada que durou cerca de uma hora.

O programa de tomada de posse de Marcelo Rebelo de Sousa teve início esta manhã com uma cerimónia na Assembleia da República, à qual se seguiu a deposição de coroas de flores nos túmulos de Luís de Camões e Vasco da Gama, no Mosteiro dos Jerónimos, entre outros momentos.

A segunda parte do programa de tomada de posse estava reservada para a cidade do Porto, onde o chefe de Estado chegou cerca das 13.45 e foi surpreendido por uma manifestação de trabalhadores da Groundforce no aeroporto Francisco Sá Carneiro.

PUB

Já aos Paços do Concelho, na Avenida dos Aliados, Marcelo Rebelo de Sousa chegou às 14.30, tendo sido recebido pelo presidente da câmara com o qual entrou no edifício, mas não sem antes acenar as poucas pessoas que o aguardavam à porta.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG