O Jogo ao Vivo

Saúde

Marcelo fez mais de 80 testes à covid-19 em dez meses de pandemia

Marcelo fez mais de 80 testes à covid-19 em dez meses de pandemia

O Presidente da República e atual recandidato ao cargo já fez mais de 80 testes ao novo coronavírus em dez meses de pandemia. Marcelo Rebelo de Sousa está atualmente a ser monitorizado pelas autoridades da saúde, depois um teste positivo e dois negativos desde segunda-feira à tarde. Este sábado vai ser novamente testado.

Está a ser uma campanha presidencial atípica em 2021. Não bastava a pandemia da covid-19, juntou-se o confinamento geral (permite ações de campanha) e um teste positivo de Marcelo Rebelo de Sousa, que poderá ter tido problemas. De acordo com o semanário "Expresso", o recandidato às eleições presidenciais está a ser monitorizado pela Direção-Geral de Saúde (DGS). Além da confusão dos testes à covid-19, um resultado positivo seguido de dois negativos em poucas horas, Marcelo está em vigilância passiva desde quarta-feira depois um elemento da Casa Civil ter testado positivo à SARS-CoV-2. O atual Presidente da República é considerado um contacto de baixo risco, mas deverá evitar contactos sociais e aglomerações.

Desde o início da pandemia em Portugal, em meados de março, Marcelo Rebelo de Sousa já fez mais de 80 testes à covid-19, segundo o semanário, de vários tipos: rápidos, PCR e serológicos. A maioria foi feita na Fundação Champalimaud. "Queria ser testado com regularidade e não fazia sentido fazer 50 ou 60 testes a onerar o setor público", disse ao jornal. Habituado a lidar com muitas pessoas, o recandidato chegou a fazer mais de três testes ao novo coronavírus por semana e durante o período dos debates com os outros candidatos presidenciais não foi exceção. Os funcionários da Casa Civil e Militar fazem também todas as semanas testes à covid-19 pelo laboratório privado Germano de Sousa.

Por agora, Marcelo Rebelo de Sousa vai permanecer sob o contacto permanente da DGS. O Presidente da República visitou uma livraria e foi ao Museu de Arte Antiga na quarta-feira, antes do confinamento, com o aval da autoridade de saúde. Este sábado vai realizar um teste do INEM e nessa altura, a situação será reavaliada, mas pretende voltar oficialmente à campanha a 20 de janeiro. O recandidato está inscrito no voto antecipado em Lisboa, a 17 de janeiro, mas espera votar em Celorico de Basto, em Braga, no dia 24.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG