Presidente da República

Marcelo: "Não foi o final de ano letivo perfeito, foi o possível"

Marcelo: "Não foi o final de ano letivo perfeito, foi o possível"

Sublinhando a importância do ensino presencial, o Presidente da República disse, esta sexta-feira, que o plano seguido para o fim do ano letivo "foi o possível", dadas as circunstâncias.

"Eu sou professor e sei bem a diferença entre o ensino presencial e o ensino à distância. Foi um recurso particularmente significativo, mas não substitui o que é presencial: a experiência única de convívio com os outros. O facto de aqui vir significa agradecer o esforço que fizeram", disse Marcelo Rebelo de Sousa, que esta sexta-feira visitou a Escola Secundária de Fontes Pereira de Melo, no Porto, onde os alunos do 11.º e 12.º anos se despedem do ano letivo, acompanhado pelo ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues.

O Presidente da República, que hoje esteve presente em várias aulas, disse ainda que os alunos com quem falou se mostraram predispostos a encarar a fase de exames que haverá em julho e setembro. "Não foi o final de ano letivo perfeito, foi o possível", constatou sublinhando que as passagens de ano administrativas "são sempre a pior solução". "Esperamos que se possa encarar o futuro com ensino presencial, espírito comunitário e reforçada confiança no futuro do país", terminou.

Desfaz notícia do "El País"

Marcelo aproveitou a ocasião para, à semelhança do que já tinha feito o Governo, contrariar uma notícia do jornal espanhol "El País", que dava conta de que toda a região de Lisboa estava confinada, o que, de facto, não corresponde à realidadE: só as 19 freguesias assinaladas é que têm dever cívico de recolhimento, recordou o chefe de Estado.

Questionado sobre se o Rt de Portugal na ordem dos 1,19 era motivo de preocupação, Marcelo lembrou que o índice "é medido todos os dias" e "varia de dia para dia". "Na Alemanha, por exemplo, houve flutuações do R de um ponto "pouco" a dois ponto "muito" no espaço de dois dias", exemplificou, acrescentando que "nas últimas semanas em Portugal, o R tem estado ligeiramente abaixo de 1, e nestas semanas tem estado ligeiramente acima de 1".

Processo do Banco de Portugal não passa por Belém

Questionado sobre a nomeação do governador do Banco de Portugal, Marcelo não comentou, limitando-se a dizer que vai falar esta sexta-feira com António Costa na habitual reunião semanal: "O processo não passa pelo Presidente da República, envolve a Assembleia e é da competência do Governo".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG