Belém

Marcelo pede pontes no Dia Contra o Fascismo e Antissemitismo

Marcelo pede pontes no Dia Contra o Fascismo e Antissemitismo

O presidente da República fez um apelo ao diálogo, à conciliação e à construção de pontes, em vez de trincheiras, ódio e divisão, esta terça-feira, Dia Internacional Contra o Fascismo e o Antissemitismo.

Marcelo Rebelo de Sousa assinalou a data com uma mensagem escrita, na qual se lê: "Neste 9 de novembro, Dia Internacional Contra o Fascismo e o Antissemitismo, o presidente da República evoca a necessidade urgente de substituirmos ao ódio e ao antagonismo a linguagem do diálogo e da abertura ao outro, seja este próximo ou distante".

"A história do nosso continente destinou a esta data um momento de contrição e reflexão, mas também de projeção no futuro da nossa capacidade de nos renovarmos, como sociedade. Hoje como nunca, esta aspiração depara obstáculos de todos os lados", referiu o chefe de Estado.

Em seguida, no texto publicado no sítio oficial da Presidência da República, apelou: "Em vez de muros e fronteiras, demos as mãos, escutemo-nos uns aos outros, unamo-nos. Às trincheiras respondamos com pontes".

"À divisão respondamos com a racionalidade do diálogo e da conciliação - em memória das chagas da nossa história comum, em memória do exemplo, recentemente homenageado, de Aristides de Sousa Mendes, e em nome de um futuro melhor, mais aberto, mais inclusivo, mais próspero, mais humano, para todos. À divisão respondamos com a racionalidade do diálogo e da conciliação", acrescentou.

Há três anos, nesta data, Marcelo Rebelo de Sousa discursou na Assembleia da República numa sessão solene sobre os 40 anos da adesão de Portugal à Convenção Europeia dos Direitos Humanos.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG