Mogadouro

Maria Luís acusa o governo de "agravar injustiças sociais"

Maria Luís acusa o governo de "agravar injustiças sociais"

A anterior ministra das Finanças do governo, Maria Luís Albuquerque, criticou o Orçamento do Estado para 2017 dizendo que "aumenta quase todos os impostos", e que esta proposta "afasta o investimento e tem graves consequências sociais".


A ex-ministra considera que o Orçamento "assenta muitíssimo num aumento de impostos sobre uma série de matérias que passam uma mensagem completamente errada para quem queira poupar ou investir no país, porque reforça uma enorme instabilidade fiscal para dar a alguns, relativamente pouco, tirando a muitos e reforçando a injustiça social e as desigualdades".

A nota negativa não fica por aqui e Maria Luís Albuquerque diz que os reforços dos impostos indiretos incide sobre todos da mesma forma "desde a classe média e sobre os mais pobres, e portanto agrava a injustiça social", sustentou durante uma deslocação aos Gorazes-Feira de Atividades Económicas, em Mogadouro.

A forma como vão ser aumentadas as pensões são um "claro exemplo" dessa injustiça "porque deixa de fora as reformas mais baixas, como foram atualizadas aos longo dos anos mais difíceis, agora parece que não têm direito a mais nada e, portanto, diz-se a alguém que tem uma pensão até 275 euros que não tem direito a aumentos extraordinários porque já teve um aumento no passado". A isto soma que o orçamento "mostra que não há uma estratégia para o país, está focado no curto prazo e na sobrevivência do governo e que desistiu até daquilo que dizia que era capaz de fazer, que era fazer crescer a economia. A previsão deste governo apontava para um crescimento de 3,1% para 2017 e agora fala-se de metade disso. Vamos ver se é possível alcançar com estas medidas que não são animadoras", defendeu a ex-ministra.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG