Conferência de imprensa

Taxa de letalidade da Covid-19 em Portugal é 2,6%

Taxa de letalidade da Covid-19 em Portugal é 2,6%

Portugal regista atualmente uma taxa de letalidade por Covid-19 de 2,6%, maior que a média global. Estão a aumentar os casos de doentes com necessidade de internamento hospitalar, embora a capacidade do SNS já seja maior.

A "capacidade ventilatória" em Portugal "mais do que duplicou" desde o início de março, disse a ministra da Saúde, na conferência de imprensa diária sobre a evolução da pandemia no país, dando conta de que, no início do mês passado, "o SNS tinha uma capacidade de 1142 ventiladores" e que, entretanto, foram "recuperados vários equipamentos que não estavam a ser utilizados e estão agora a uso." No total, o SNS tem atualmente à disposição mais 1538 ventiladores - "1151 comprados, 227 doados, e 140 por empréstimo da Air Liquid" - dos quais 85% dos aparelhos têm capacidade invasiva. A 6, 13 e 30 de abril, devem chegar a Portugal os restantes equipamentos encomendados, nomeadamente ventiladores.

Apesar de a resposta ser melhor, estão a aumentar o número de casos de doentes "com necessidade de internamento hospitalar", disse a ministra, assinalando que a "pressão sobre o internamento hospitalar está a crescer". "É muito importante que o sistema seja utilizado de uma forma eficiente", destacou Temido, salientando como "ponto crítico da utilização do SNS, mesmo em épocas normais, "a circunstância sistemática de internamentos inapropriados por constrangimentos no encaminhamento de doentes, quer para a rede nacional de cuidados integrados, quer para os domicílios para idosos ou para as próprias famílias".

A este propósito, Marta Temido recordou que, antes de serem admitidos em lares, todos os idosos têm de ser submetidos ao teste de despiste do vírus e cumprir um período de quarentena de 14 dias. Sobre utentes infetados mas que não precisem de internamento hospitalar, o ideal é que "possam ser recebidos nas instituições" onde já se encontravam. "Cada um deles podia ser o nosso pai, a nossa mãe, o nosso avô ou a nossa avó", disse a governante, apelando a cuidados redobrados na forma como se lida com pessoas idosas.

Taxa de letalidade superior à média global

De acordo com a ministra da Saúde, a letalidade do vírus em Portugal aumentou para 2,6%, um valor superior ao da taxa de letalidade calculada a nível global, que rondará os 1,4%, segundo os cálculos recentes (semana passada) dos investigadores do Centro de Doenças Infeciosas do Imperial College, em Londres. De acordo com os especialistas, o valor médio mundial pode ser até mais baixo tendo em conta devido ajuste do número de casos não diagnosticados.

1332 profissionais de saúde infetados

Até ontem, segundo a ministra, havia1332 profissionais de saúde com casos de infeção confirmados, entre os quais 231 médicos, 339 enfermeiros e 662 de outras áreas. Marta Temido esclareceu que ainda não há informação detalhada sobre a distribuição desses casos pelos sistemas público e privado, mas que está a haver esforços nesse sentido.

Crianças com "capacidade enorme de recuperação"

Também presente na conferência de imprensa, a diretora-geral da Saúde disse que "felizmente, as crianças que são internadas, mesmo aquelas que entram com um quadro clinicamente grave e complexo, têm tido uma capacidade enorme de recuperação", sendo que "a maior parte delas está já no seu domicílio e muitas já foram dadas como curadas".

"Nos adultos jovens, a ida para as unidades de cuidados intensivos tem sido sobretudo determinada pela sua condição clínica de base", ou seja, doenças adjacentes que agravam o quadro clínico.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG