O Jogo ao Vivo

Covid-19

Marta Temido deixa alerta: "33% dos internados têm entre 40 e 69 anos"

Marta Temido deixa alerta: "33% dos internados têm entre 40 e 69 anos"

A ministra da Saúde, Marta Temido, afirmou esta quarta-feira, em tom de alerta aos mais novos, que, do total de pacientes internados com covid-19 nos hospitais portugueses, 33% têm entre 40 e 69 anos.

Na habitual conferência de imprensa de apresentação dos dados epidemiológicos do país, Marta Temido anunciou que, da totalidade de pacientes internados com covid-19, 33% têm entre 40 e 69 anos, 63% mais de 70 anos e 4% menos de 40 anos.

"Isto quer dizer que não são só as pessoas que contraem a doença com idades mais avançadas que precisam de internamento", recordou a ministra da Saúde, acrescentando ainda que, dos 5891 novos casos reportados no boletim de hoje, "mais de mil correspondem a pessoas entre os 40 e 69 anos".

De acordo com os dados do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), o Rt (risco de transmissão efetivo) calculado de 9 a 13 de novembro foi de 1.11. Num olhar mais detalhado pelo país, esse foi exatamente o valor do Rt na região Norte, sendo que no Centro foi de 1.16, em Lisboa e Vale do Tejo 1.08, no Alentejo 1.06 e no Algarve 1.04.

Apesar de o Rt estar a dar sinais "ligeiros" de abrandamento, "estando acima de 1 continua a ser um aspeto que oferece preocupação". "Idealmente devemos situá-lo abaixo de 1, ou no máximo em 1. Isso significará que cada novo caso de infeção dará origem a menos de um novo caso de infeção", recordou Marta Temido, reconhecendo que, neste momento, o que mais preocupa as autoridades de saúde é o elevado número de casos diários.

PUB

Ainda segundo informações do INSA, nos últimos 14 dias, a taxa de incidência no país foi de 726,2 casos por 100 mil habitantes.

No Norte, o número sobe para 1264 casos por 100 mil habitantes no mesmo período, sendo que no Centro foi de 505, na região de Lisboa 498, no Alentejo 291 e no Algarve 265.

Questionada em relação à intenção de o Governo começar a distribuir a primeira vacina contra o SARS-CoV-2 em janeiro - revelada esta quarta-feira de manhã - Temido recordou que a União Europeia tem a decorrer um "processo específico para assegurar que os cidadãos têm acesso a vacinas seguras, eficazes e a preços comportáveis". Portugal está a acompanhar esse processo através do Infarmed.

"De acordo com os calendários de distribuição, há a possibilidades de uma das primeiras vacinas chegar em janeiro. Foi a isso que me referi hoje de manhã. Queremos que o país esteja preparado para assegurar o armazenamento, a distribuição e a aplicação segura da vacina", sublinhou a ministra da Saúde.

Ainda durante a conferência de imprensa, Marta Temido reconheceu que já há estudos que evidenciam sequelas mesmo em casos de infetados com sintomas ligeiros ou assintomáticos, pelo que "a melhor forma é evitar a transmissão".

Os profissionais de saúde deverão ter de alterar os seus planos de férias previstos para o Natal e Ano Novo devido à evolução da pandemia de covid-19, admitiu hoje a ministra da Saúde.

"Muito provavelmente terá de haver, em função da situação epidemiológica que vivemos, alteração de planos de férias de 2020, como já houve no início do ano", disse Marta Temido, durante a conferência de imprensa de balanço da epidemia de covid-19.

A ministra admitiu que esta é "uma decisão difícil" porque "é um esforço adicional que se pede aos profissionais de saúde" assim como se poderá ter de pedir a profissionais de outras áreas.

Marta Temido lembrou que "este é um momento particularmente exigente" e, por isso, voltou a sublinhar ser "tão urgente parar a transmissão da infeção", até porque "o sistema tem limites de resistência".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG