hospitais

Maternidades de Coimbra em risco de perder urgência

Maternidades de Coimbra em risco de perder urgência

A secção regional do centro da Ordem dos Médicos alerta para a "situação alarmante" vivida nas maternidades de Coimbra devido à falta de médicos especialistas em ginecologia e obstetrícia. O problema afeta a escala do serviço de urgência.

Caso não se proceda à urgente contratação destes especialistas, refere a Ordem dos Médicos (OM), em comunicado, "poderá ficar inviabilizada a elaboração de uma escala de urgência com o número de médicos indispensáveis ao funcionamento do serviço de acordo com as normas do Colégio da Especialidade de Ginecologia e Obstetrícia da OM", avisa.

"A situação é muito grave", denuncia, "não podemos comprar a realidades destas maternidades com o que se passa em qualquer um dos outros hospitais universitários do país. O cálculo do número de médicos não poderá, neste caso, reportar apenas o número de partos e população de referência".

Em causa está o serviço prestado na Maternidade Bissaya Barreto, da Maternidade Daniel de Matos e nos Hospitais da Universidade de Coimbra, onde, além de partos, se tratam doentes com com patologia oncológica ginecológica, patologia da mama, incluindo cancro da mama.

Apesar das muitas saídas de médicos, não se fazem contratações para a Maternidade Bissaya Barreto desde 2010. Por outro lado, não se investe em equipamentos e na reabilitação dos espaços físicos há quatro anos, refere ainda a secção centro da OM.

Outros Artigos Recomendados