IPMA

Mau tempo vai continuar e hoje ainda pode haver mais tornados

Mau tempo vai continuar e hoje ainda pode haver mais tornados

Uma depressão localizada, esta sexta-feira de manhã, a cerca de 150 quilómetros de Lisboa provocou tornados de pequenas dimensões em algumas zonas do país, não estando excluída a ocorrência de fenómenos semelhantes nas próximas horas. A partir de sábado, o IPMA prevê que haja aguaceiros e trovoada, mais prováveis no Norte e Centro.

Até às 18 horas desta sexta-feira, Portugal continental tinha registado 309 ocorrências originadas pelo mau tempo, sobretudo no sul do país. Populares das zonas de Palmela e Beja testemunharam e captaram os danos provocados por tornados de pequenas dimensões: árvores arrancadas, carros danificadas e telhados levantados foram alguns dos estragos. No Porto de Setúbal, um homem ficou ferido depois de ter sido atingido por uma chapa.

Os fenómenos estão associados a uma depressão que, às 9 horas desta sexta-feira, se localizava a cerca de 150 km a oeste de Lisboa, informa o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), detalhando que a natureza da depressão não pôde ainda ser classificada, uma vez que "não apresentou todas as características necessárias para a sua classificação". Assim, não lhe foi atribuída nem um número (como depressão sub-tropical ou tropical) nem um nome (como tempestade sub-tropical, tempestade tropical ou furacão).

As ocorrências registadas resultam da organização de "células convectivas" em "rotação organizada e duradoura, a níveis médios e baixos, sugestiva da presença de mesociclone [vórtice de ar], o que é típico de super-células [tempestades habitualmente violentas com vórtice de ar]". "Neste contexto, em que as condições de wind shear [rápida variação na direção e/ou na velocidade do vento] na camada baixa não eram muito favoráveis à ocorrência de tornados fortes, é ainda assim possível a ocorrência de fenómenos do tipo tornado", pode ler-se em comunicado do IPMA

O IPMA não tem dúvidas que, no caso de Palmela, foi um tornado a lançar o caos, isto porque há vídeos que mostram o cone de vento, explicou ao JN o meteorologista Nuno Moreira. No caso de Beja, não há imagens do "funil" do tornado, mas há testemunhos escutados pelo JN nesse sentido, que vão ao encontro dos dados recolhidos pelo IPMA, nomeadamente a existência de "nuvens que podem formar tornados" na região de Beja, adiantou o mesmo especialista. Por isso, "é muito provável que os estragos em Beja tenham sido provocados por um tornado", conclui Nuno Moreira.

Ainda pode haver fenómenos semelhantes

Para as próximas horas, preveem-se "aguaceiros, por vezes fortes nas regiões Centro e Sul, com condições favoráveis à ocorrência de trovoada". O vento vai continuar moderado a forte, podendo chegar a 90 km/h nas terras altas, "prevendo-se a diminuição gradual das condições de instabilidade ao longo da tarde e a diminuição significativa da intensidade do vento no início da noite". Ainda assim, o Instituto não exclui "a possibilidade de ocorrerem fenómenos extremos de vento nas regiões Centro e Sul durante a tarde".

A partir de sábado e até ao início da próxima semana, o estado do tempo em território continental "vai ser condicionado por uma nova depressão que vai estar centrada a noroeste" do país, e que deverá originar aguaceiros e trovoada, mais prováveis no Norte e Centro. O vento vai ser fraco a moderado, soprando pontualmente forte nas terras altas.

Outras Notícias