Sindicato dos Jornalistas

Sindicato dos Jornalistas vai pedir reunião urgente com administração do "Sol" e "i"

Sindicato dos Jornalistas vai pedir reunião urgente com administração do "Sol" e "i"

O Sindicato dos Jornalistas vai pedir uma reunião urgente com a administração da Newshold, dona dos jornais "Sol" e "i", e aconselha os seus associados a não assinarem, por enquanto, quaisquer documentos que lhes sejam apresentados.

A Newshold, do investidor Álvaro Sobrinho, anunciou que vai deixar de ser acionista dos jornais e que será feita uma reestruturação no grupo que levará ao corte de dois terços dos trabalhadores, disseram fontes da redação. Esta informação foi avançada num plenário pelo administrador Mário Ramires.

Em comunicado, o Sindicato dos Jornalistas (SJ) adianta que "está a acompanhar a situação no jornal i e no semanário Sol, depois de os acionistas terem decidido encerrar a empresa detentora dos dois títulos e encetar um processo de despedimento, que poderá abranger cerca de 120 trabalhadores, na sua maioria, jornalistas".

O sindicato aconselhou ainda "os seus associados a não assinarem, por enquanto, quaisquer documentos que lhes sejam apresentados, nomeadamente, autorizações que dispensem a empresa de apresentar uma caução para os créditos devidos aos trabalhadores".

Além disso, "o SJ irá solicitar uma reunião, com caráter de urgência, com a administração das referidas publicações, com vista à preservação dos dois jornais, assim como dos postos de trabalho agora ameaçados, renunciado à solução mais fácil do encerramento e do despedimento".

De acordo com fontes do "Sol" e "i", contactadas pela Lusa, agora o objetivo é ficar com uma redação única de cerca de 60 pessoas, sendo que se prevê que todos os trabalhadores sejam chamados ainda esta segunda-feira para saber se continuam no projeto ou se integram a lista de saídas.

Os trabalhadores que ficarem no projeto, adiantaram as mesmas fontes, terão de abdicar de indemnizações e ser alvo de cortes de vencimento.

"O SJ manifesta solidariedade para com os profissionais atingidos e reafirma a sua determinação na defesa de todos os direitos dos jornalistas, em particular, o direito ao trabalho" e "lamenta profundamente o encerramento de dois títulos da imprensa nacional, considerando que se trata de uma perda irreparável na diversidade da oferta informativa, fundamental à defesa do pluralismo".

De acordo com fontes ligadas ao processo, agora a ideia é que o "Sol" passe a ser publicado aos sábados e o "i" esteja nas bancas entre segunda e sexta-feira.

Outros Artigos Recomendados