Pandemia

Medicina Legal reforça capacidade para acolher cadáveres

Medicina Legal reforça capacidade para acolher cadáveres

O Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses anunciou que vai reforçar a "capacidade de frio" em vários serviços de medicina legal, respondendo desta forma ao pedido feito pela Direção Geral da Saúde.

O Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses (INMLCF) informou esta sexta-feira que "procedeu ao reforço da capacidade de frio" em vários serviços de medicina legal.

A medida surge depois de a DGS ter apelado a que se aumentasse a lotação de câmaras frigoríficas nos locais onde fosse necessário, dado o aumento de mortes por covid-19.

Em nota enviada à comunicação social, o INMLCF adiantou que foi reforçado o espaço disponível "em 15 dos seus serviços médico-legais", de maneira a "garantir que os corpos que neles dão entrada direta sejam conservados adequada e dignamente".

O Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Central revelou, também hoje, que estavam disponíveis 48 lugares na morgue do Hospital de S. José.

No Hospital Santa Maria (Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Norte) foram abertos dois contentores refrigerados junto à casa mortuária para reforçar a capacidade de preservação de cadáveres.

PUB

Por seu lado, o Centro Hospitalar Barreiro Montijo instalou, na passada quinta-feira, dois contentores frigoríficos para acondicionamento dos corpos. Segundo o conselho de administração desta unidade, o reforço deveu-se "ao aumento da mortalidade que neste momento se verifica e que se deve, em parte, à evolução da pandemia de covid-19".

Na passada quarta-feira, o Hospital de Aveiro teve de reforçar a sua resposta no armazenamento de cadáveres com uma estrutura adicional. Segundo o conselho de administração do Centro Hospitalar do Baixo Vouga, "a mortalidade tem crescido de forma acentuada, sendo que nos últimos cinco dias faleceram 24 pessoas com covid-19, num total de 47 óbitos".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG