SNS

Médicos de família colocados até junho

Médicos de família colocados até junho

A ministra da Saúde, Marta Temido, anunciou, nesta quarta-feira de manhã, no Parlamento, que os recém-especialistas em Medicina Geral e Familiar (MGF) serão colocados nos centros de saúde "até final de junho". Contratações que, vincou, "são indispensáveis para melhorar a cobertura" nacional.

Conforme o JN noticiou, a pandemia ditou o adiamento do exame final de internato médico, protelando a abertura do concurso de recrutamento de recém-especialistas em MGF. Sendo que, confirmou a governante, as notas não foram ainda homologadas. Após a homologação, a lei define um prazo de 30 dias para abertura. Em causa, refira-se, 359 recém-especialistas como potenciais candidatos ao concurso.

A abril passado, referiu Marta Temido aos deputados, 91% dos inscritos tinham médico de família atribuído. Ou, por outras palavras, "cerca de 900 mil não o tinham". Um agravamento face aos dados públicos de março, quando aquele valor estava nos 867 mil utentes sem médico atribuído. "Em abril, a situação agravou-se", explicando que até abril tinham-se aposentado "mais de 100" médicos de família. Altura em que se "contavam mais 59 mil inscritos nos Cuidados de Saúde Primários".

Marta Temido insistiu que o Governo está a "trabalhar para atribuir um médico de família a todos". Horizonte temporal? A presente legislatura.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG