António Costa

Medidas prolongadas além de 9 de janeiro e quarta dose nos planos do Governo

Medidas prolongadas além de 9 de janeiro e quarta dose nos planos do Governo

As medidas restritivas para o controlo da pandemia em Portugal, nomeadamente nas fronteiras, vão prolongar-se além do dia 9 de janeiro. O Governo já fez um pedido de aquisição de vacinas, a pensar na nova variante.

"Esta nova variante está-se a difundir muito intensamente na Europa, e também em Portugal, e portanto naturalmente não vamos poder desarmar. Vamos ter de manter ou até mesmo reforçar, se for necessário", adiantou António Costa, sobre as medidas de controlo nas fronteiras, em declarações aos jornalistas, em Bruxelas.

Admitindo apertar a mola se necessário face ao surgimento da ómicron, que, estimou, vai "tornar-se dominante provavelmente no mês de janeiro", o primeiro-ministro renovou o apelo à população para que cumpra todas as medidas de autoproteção e reforçou a importância da testagem para travar a expansão da variante.

"A testagem é absolutamente essencial, e o controlo de fronteiras é absolutamente essencial. Vamos manter a obrigatoriedade de testes para entrar em Portugal, nisso não podemos transigir", afirmou António Costa, à entrada para o Conselho Europeu.

Quanto às restantes regras em vigor, o chefe de Governo notou que "seguramente" vão ser prorrogadas, uma vez que, a 9 de janeiro, o país não vai "estar em condições de retirar estas medidas".

Quarta dose de vacina nos planos

Portugal já apresentou um pedido de compra de uma nova vacina adaptada à variante ómicron, para o caso de ser necessária uma quarta dose, anunciou ainda António Costa, explicando que o pedido de aquisição já foi apresentado e que a vacina "estará disponível após a primavera".

PUB

O chefe do Governo explicou ainda que o pedido de compra abrange a quantidade suficiente para poder ser administrada "uma quarta dose de reforço", caso essa necessidade se venha a confirmar.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG