Polémica

Medina concorda com críticas ao jantar no Panteão

Medina concorda com críticas ao jantar no Panteão

O presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, afirmou concordar com a posição crítica do Governo sobre o uso do Panteão para jantares, como aconteceu na sexta-feira, no âmbito da Web Summit.

"Concordo com a posição do Governo. Acho que o Panteão não deve ter essa utilização, o Governo vai tomar medidas, concordo com elas", afirmou o autarca, à margem da comemoração dos 75 anos do Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa.

Questionado sobre se sabia do jantar de sexta-feira, Medina referiu não gerir o Panteão, acrescentou que não sabia e devolveu a pergunta aos jornalistas sobre se o presidente da Câmara devia saber tudo o que se passa na cidade.

A polémica sobre este assunto surgiu após a divulgação de informações nas redes sociais sobre um jantar exclusivo com convidados da Web Summit na nave central do Panteão Nacional, em Lisboa.

Denominado "Founders Summit", o evento decorreu na sexta-feira, um dia depois do encerramento da cimeira tecnológica e de inovação, cuja realização continuará em 2018, com a possibilidade de mais dois anos.

A realização do jantar no monumento funerário de destacadas personalidades nacionais resultou, durante o fim de semana, em diversas reações, incluindo do próprio fundador da Web Summit, o irlandês Paddy Cosgrave, que pediu desculpas "por qualquer ofensa causada", garantindo num breve depoimento escrito que o evento, "conduzido com respeito", respeitou as regras do local.

O Governo, através do gabinete do primeiro-ministro, classificou, no sábado, a utilização do espaço do Panteão Nacional para a realização do referido jantar como "absolutamente indigna", referindo que tal utilização estava enquadrada legalmente através de um despacho proferido pelo anterior executivo PSD/CDS-PP.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG